Trabalhadores da CP e da IP vão estar em greve a 27 de maio

Os trabalhadores reivindicam aumentos salariais para todos, a redução do horário de trabalho para as 35 horas, o trabalho com direitos, o respeito pela contratação coletiva, a redução da idade de reforma e a melhoria do serviço público prestado.

DR

Os trabalhadores da CP – Comboios de Portugal e da Infraestruturas de Portugal (IP) marcaram esta quinta-feira uma greve de 24 horas para dia 27 e uma concentração, em defesa de aumentos salariais e melhores condições de trabalho.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores do Setor Ferroviário (SNTSF), da CGTP, emitiu o pré-aviso de greve para 27 de maio, para abranger todos os trabalhadores da CP e da IP, e marcou uma concentração para a manhã do mesmo dia, em frente ao Ministério das Infraestruturas, em protesto contra “11 anos sem aumento”.

Os trabalhadores do setor ferroviário e das infraestruturas ferroviárias e rodoviárias reivindicam aumentos salariais para todos, a redução do horário de trabalho para as 35 horas, o trabalho com direitos, o respeito pela contratação coletiva, a redução da idade de reforma e a melhoria do serviço público prestado.

As duas iniciativas de protesto abrangem trabalhadores da CP, da IP- Infraestruturas, da IP-Telecom, da IP-Património e da IP-Engenharia.

O SNTSF apelou à mobilização de todos os trabalhadores destas empresas porque “o pré-aviso de greve é para todos os trabalhadores independentemente da sua carreira, categoria ou filiação sindical”.

Relacionadas

Trabalhadores do Metro Lisboa entregam pré-aviso de greve para 25 de maio

Em causa está a valorização salarial e a valorização das carreiras, além do preenchimento imediato do quadro operacional e as progressões na carreira.
Recomendadas

Presidente da Associação Portuguesa de Logística: “É fundamental investir em infraestruturas”

Raul Magalhães considera que o desenvolvimento dos portos marítimos nacionais foi o ponto forte do sector nos últimos anos, a par da evolução dos operadores e integradores logísticos.

PremiumCapgemini reforça ‘know how’ na área de engenharia

Apesar da procura acrescida em 2020, a Capgemini reporta um ano “sem disrupções”. Agora, o grupo procura com a Capgemini Engineering reforçar a sua capacidade técnica em sectores chave.

Terceiro passageiro na viagem ao espaço com Jeff Bezos pagou 23 milhões de euros

Este foi o único lugar colocado à venda e o dinheiro angariado reverterá a favor da fundação Club for the Future, uma associada da Blue Origin que promove o ensino da matemática e da ciência.
Comentários