Tranquilidade vende 47% na Europ Assistance à Generali

A Seguradoras Unidas (que detém a Tranquilidade e Açoreana) fechou hoje às 15h00 o contrato de venda dos 47% da seguradora especialista em assistência em viagens, Europ Assistance, confirmou fonte próxima ao Jornal Económico. A operação já recebeu a autorização da ASF.

Companhia de Seguros Tranquilidade

O negócio foi avançado em primeira-mão pelo Dinheiro Vivo e confirmado pelo Jornal Económico.

A Seguradoras Unidas (que detém a Tranquilidade e Açoreana) fechou hoje às 15h00 o contrato de venda dos 47% da seguradora especialista em assistência em viagens, Europ Assistance, confirmou fonte próxima ao Jornal Económico. A operação já recebeu a autorização da ASF -Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões.

O Dinheiro Vivo avançou que a Seguradoras Unidas, entidade controlada pela Apollo, vendeu a posição que detinha na Europ Assistance a uma entidade controlada pela Generali. O negócio foi anunciado num comunicado aos trabalhadores, mas não foram especificados os valores. O comunicado diz que foi “concluído o acordo entre a EAG e a Seguradoras Unidas para aquisição da participação que esta detinha na Euro Assistance Portugal, e que a EAG passa a ser detentora de 100% do capital da empresa”.

A seguradora detida pela Apollo detinha 47% da Europ Assistance Portugal e os restantes 53% eram detidos pela Europ Assistance Group (EAG), em que a Generali tem uma posição de mais de 95%.

O Jornal Económico sabe também que a Apollo não tem qualquer processo de venda da Tranquilidade em curso. Embora sendo a Tranquilidade um fundo seja expectável que mais cedo ou mais tarde venda a seguradora portuguesa.

A Seguradoras Unidas está nesta fase ainda aberta a novas aquisições no setor. Fora do seu horizonte está já a GNB Vida do Novo Banco, companhia que chegou a merecer a atenção da Apollo.

Ler mais
Relacionadas

Montepio com Tranquilidade

Nos momentos de crise, permanecem as instituições que são portuguesas, são nossas, e estão disponíveis para ativar políticas nacionais.

Tranquilidade: nova imagem da marca vai custar 6 milhões de euros

A Tranquilidade lança esta terça-feira a nova imagem corporativa, ficando a marca Tranquilidade no mercado de Portugal Continental e da Madeira e a marca Açoreana nos Açores, aproveitando que aquela que era a seguradora do Banif tem uma imagem forte nesta região autónoma.
Recomendadas

Constâncio volta à mira dos deputados com omissões sobre créditos a Berardo debaixo de fogo

Ex-governador do Banco de Portugal volta a ser inquirido pelos deputados esta terça-feira, depois de notícias de que teve conhecimento prévio do financiamento da Caixa Geral de Depósitos a Joe Berardo para comprar ações do BCP, informação que terá omitido na primeira audição. Vítor Constâncio já negou que tenha tido um papel preponderante neste crédito, que se revelaria ruinoso para o banco público.

Respostas Rápidas: Como o Novo Banco registou perdas de 1.869 milhões em 2018 com os ativos do mecanismo

O Fundo de Resolução explica as dúvidas sobre o Mecanismo de Capitalização Contingente usado para recapitalizar o Novo Banco. O valor a pagar ao abrigo do CCA em 2019 e referente ao ano 2018, de 1.149 milhões, resulta da comparação entre o valor acumulado das perdas nos ativos CCA e o valor da insuficiência de capital do banco face aos níveis acordados. O valor acumulado das perdas era maior: 1.870 milhões depois do pagamento de 792 milhões pelo Fundo em 2018.

Joe Berardo pondera chamar Vítor Constâncio como testemunha contra banca

O empresário e coleccionador de arte português José Berardo está a estudar a hipótese de chamar o antigo governador do Banco de Portugal (BdP) Vítor Constâncio como testemunha num processo movido pelos bancos, revela o “Público” esta segunda-feira. Em causa está o processo judicial para recuperar 962 milhões de euros. A informação foi transmitida ao […]
Comentários