Transporte de passageiros abrandou em todos os modos em 2018

O transporte de passageiros em Portugal registou uma desaceleração transversal aos diversos modos durante o ano passado, de acordo com os dados publicados hoje, dia 8 de novembro, pelo INE – Instituto Nacional de Estatística. O transporte de passageiros por modo aéreo cresceu 6,8%, para 56,3 milhões, um abrandamento face à subida de 16,5% verificada […]

Cristina Bernardo

O transporte de passageiros em Portugal registou uma desaceleração transversal aos diversos modos durante o ano passado, de acordo com os dados publicados hoje, dia 8 de novembro, pelo INE – Instituto Nacional de Estatística.

O transporte de passageiros por modo aéreo cresceu 6,8%, para 56,3 milhões, um abrandamento face à subida de 16,5% verificada no ano anterior.

No modo ferroviário, os passageiros transportados aumentaram 3,9%, quando crescimento ocorrido em 2017 havia sido de 6%.

Também nos metropolitanos, a tendência foi a mesma, com os passageiros transportados no ano passado a aumentarem 4,3%, quando o crescimento no ano precedente foi de 5,1%.

Por fim o transporte fluvial registou uma subida de passageiros de 3,4% em 2018, contra um crescimento de 5,5% em 2017.

“O transporte de mercadorias evidenciou evoluções positivas na via aérea (+ 5,2%, + 21% em, 2017) e rodoviária (+0,1%, + 6,1% em 2017), e decréscimos no modo marítimo (- 3,2%, + 2,2% em 2017) e na ferrovia (- 0,5%, + 2% em 2017)”, destaca a informação hoje divulgada pelo INE.

Também a atividade portuária nacional registou num decréscimo, uma vez que os portos marítimos nacionais registaram um movimento de 90,4 milhões de toneladas de mercadorias, uma redução de 3,2% face a 2017, que compara com os aumentos anteriores de 2,2% e de 5,1%, respetivamente em 2017 e 2016.

Aumento significativo de mortes

O mesmo documento acrescenta que o número de mortes aumentou significativamente em 2018.

“Em 2018, houve um aumento significativo do número de mortes em acidentes de viação (+ 11,7%; + 6,9% em 2017) para 704 vítimas mortais. Inversamente, o número de vítimas reduziu-se ligeiramente (- 0,7%; + 6,7% em 2017) para 46 mil pessoas, devido à redução no número de feridos (- 0,9%; + 6,7% em 2017). Relativamente ao Continente, os acidentes com vítimas reduz<iram-se ligeiramente (- 0,5%; + 6,6% em 2017) para 34,2 mil acidentes, de acordo com os dados divulgados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária”, explica a referida nota do INE.

Ler mais
Recomendadas

Café do vulcão cabo-verdiano do Fogo chega ao gigante Starbucks

Uma parceria estabelecida entre empresários holandeses e cabo-verdianos está a levar o café da ilha do Fogo, produzido biologicamente junto ao vulcão, à gigante norte-americana Starbucks, a maior rede de cafés do mundo.

PremiumFintech Pagaqui investe nas criptomoedas

Empresa quer continuar próxima dos pequenos retalhistas e está a criar serviços para que os clientes paguem o café com moedas digitais.

Indígenas protestam junto da sede da Repsol contra petróleo no mar brasileiro

Um grupo de indígenas brasileiros, em conjunto com representantes do movimento de proteção ambiental 350.org, manifestaram-se hoje junto da sede da petrolífera Repsol em Madrid contra o uso de combustíveis fósseis, pedindo um “mar sem petróleo”.
Comentários