Transporte ferroviário é “pilar” de combate ao aquecimento global

O Conselho Nacional do Partido Ecologista Os Verdes, reunido hoje no Porto, elegeu o transporte ferroviário como o “pilar fundamental” para Portugal combater o aquecimento global e recordou o “não categórico” à exploração de lítio.

“Os Verdes apontam, mais uma vez, o transporte ferroviário como pilar fundamental nas respostas nacionais a implementar para combater o aquecimento global e as assimetrias regionais”, é a primeira das conclusões do Conselho Nacional do partido, que esteve hoje reunido no Porto para discutir a situação nacional.

“Consideramos que de facto uma das respostas nacionais fundamentais a dar em termos de combate e mitigação e às alterações climáticas é sem dúvida a nível dos transportes públicos e por isso esta necessidade de pôr hoje em dia mais material circulante a rolar nas nossas linhas e dar mais resposta”, declarou aos jornalistas Manuela Cunha, da comissão executiva do Conselho Nacional de Os Verdes.

Aquele órgão do partido debruçou-se também sobre a questão da exploração do lítio em Portugal e reiterou um “não categórico” à exploração daquele metal em terras do Barroso, nomeadamente em Montalegre.

Manuela Cunha recordou que essa área é de extrema “sensibilidade ambiental”, onde “nunca deveria ter sido equacionada a exploração de lítio”, porque é numa zona “classificada como Património Agrícola da Humanidade pela FAO”.

A remoção de materiais que contêm amianto em edifícios públicos por constituir um “perigo para a saúde” e o “reforço de investimento nos serviços públicos fundamentais”, como o Serviço Nacional de Saúde, foram outras das conclusões do Conselho Nacional de Os Verdes.

Sobre o Orçamento do Estado para 2020, Os Verdes destacam, “sem prejuízo da posição de voto que assumirão”, que é fundamental face ao quadro atual “combater as alterações climáticas com medidas sérias de mitigação e de adaptação, quer por via energética, quer por via de investimento nos transportes públicos”, bem como “combater as assimetrias regionais”.

Ler mais
Recomendadas

BNI Europa agravou prejuízos para 6,6 milhões de euros até junho

O ativo líquido total era em junho passado de 351,5 milhões de euros, neste caso menos 66,5 milhões de euros face a junho de 2019.

Banco de Portugal obriga financeiras em regime de livre prestação de serviços a reporte

Centenas as instituições estão registadas em Portugal como instituições de crédito da União Europeia em regime de livre prestação de serviços e entidades de moeda eletrónica com sede na Europa em regime de livre prestação de serviços, caso dos bancos digitais N26, Openbank ou Revolut.

Transportes Metropolitanos de Lisboa aprovado pelo Conselho Metropolitano

A Área Metropolitana de Lisboa detém a totalidade da empresa, que vai o património da empresa OTLIS – Operadores de Transportes da Região de Lisboa.
Comentários