Unicâmbio mantém balcões abertos para envio e recebimento de dinheiro do exterior

Acompanhando a par e passo a crise pandémica do Covid-19 e a situação que o País atravessa, a Unicâmbio pretende “manter o seu papel no apoio às famílias através do reforço do envio e recebimento de valores que, mais do nunca, importa que cheguem atempadamente aos respetivos destinatários nacionais e estrangeiros”, revela a agência de câmbios em comunicado.

Para apoiar os serviços de envio e recebimento de valores para apoiar famílias, a Unicâmbio vai estar em funcionamento durante o Estado de Emergência.

“A generalidade da atividade da rede de balcões da Unicâmbio vai estar em funcionamento durante os próximos tempos”, diz a empresa.

Acompanhando a par e passo a crise pandémica do Covid-19 e a situação que o País atravessa, a Unicâmbio pretende “manter o seu papel no apoio às famílias através do reforço do envio e recebimento de valores que, mais do nunca, importa que cheguem atempadamente aos respetivos destinatários nacionais e estrangeiros”.

“Assim, embora com ligeiros ajustes nos horários de funcionamento de alguns dos postos  e atendimento e o encerramento esporádico de outros, o compromisso da empresa é aprofundar e aplicar todas as suas energias ao lado de todos quantos, nesta hora de especial exigência, mais carecem de apoio à distância”, refere a mais antiga agência de câmbios, líder de mercado no setor das transferências de dinheiro e de câmbios.

A empresa justifica as medidas com uma “forma a acautelar a saúde e o bem-estar das suas equipas e dos clientes”. Desde a eclosão da pandemia, “a Unicâmbio aumentou os seus níveis de atenção às recomendações das entidades de saúde nacionais e internacionais, designadamente através de planos de contingência para os balcões”.

Recomendadas

Balsemão: “Este livro não é, nem pretende ser, um ajuste de contas”

A apresentação do livro de 962 páginas, onde o patrão do Expresso e da SIC, conhecido jornalista, empresário e político relata as suas Memórias, coube a Luís Marques Mendes e Clara Ferreira Alves. “Devemos agradecer às pessoas que nos fazem felizes”, disse Balsemão, citando Proust.

Caixa não pode “descurar o rigor” nem cometer “erros” após boas notícias, diz Paulo Macedo

“Se a Caixa se mantiver competitiva, se a Caixa assegurar uma boa ‘governance’, se a Caixa mantiver um rigor de crédito e melhorar as suas práticas e cada vez tiver mais próxima do cliente, se não fizer o oposto disto, eu acho que apesar do negócio bancário estar muito difícil, e dos proveitos ‘core’ bancários preverem-se estar estagnados, a Caixa tem uma boa base para prosseguir o seu caminho”, disse o CEO da CGD.

Moody’s sobe rating da CP

“A subida tem em conta as fortes ligações entre a Comboios de Portugal e o soberano, do qual recebe um apoio financeiro considerável”, considerou Francesco Bozzano, o analista da empresa na agência norte-americana, onde tem o cargo de analista vice-presidente-sénior.
Comentários