Ursula von der Leyen considera acordo para Fundo de Recuperação um “passo histórico” para a União Europeia

Presidente da Comissão Europeia elogiou acordo alcançado entre parceiros europeus e as metas que este traça para a economia verde e a descarbonização num discurso no Parlamento Europeu. Os eurodeputados terão ainda de aprovar o pacote financeiro.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, considera o acordo entre os líderes europeus para o financiamento do plano de recuperação económico um passo gigantesco na história da União Europeia. A ideia foi transmitida no discurso da líder da Comissão hoje, no Parlamento Europeu em Bruxelas.

“Os grandes vencedores desta cimeira são os novos recursos próprios”, defendeu von der Leyen, numa alusão às novas tributações aprovadas pelos chefes de Estado dos 27, citada pela Reuters.

O acordo envolve a imposição de taxas em produtos de plástico não reciclado, bem como uma outra sobre bens e serviços digitais importados para a UE provenientes de economias com valores de referência para as emissões de CO2 menos ambiciosos.

“Temos agora um acordo unânime sobre a necessidade de novos recursos próprios. Isto é um passo gigante e histórico em frente para a nossa união, um que a Comissão e o Parlamento tinham vindo a promover há já bastante tempo”, acrescentou a presidente da Comissão. O acordo alcançado no Conselho Europeu do passado fim-de-semana está ainda sujeito à votação e aprovação pelos eurodeputados.

A presidente concluiu associando a atribuição dos fundos estabelecidos dentro do pacote de 750 mil milhões de euros à capacidade dos governos de cada país de cumprirem com a lei. Apesar de não terem sido mencionados países específicos, crê-se que a referência fosse aos líderes polacos e húngaros, a quem a UE tem apelado que respeitem o Estado de direito e as suas instituições independentes, como tribunais e órgãos de comunicação social.

Recomendadas

Economia da zona euro precisa de mais apoio com segunda vaga, considera FMI

“Com a segunda vaga, as políticas orçamentais nacionais provavelmente necessitam de dar um apoio geral por mais tempo do que o inicialmente estimado”, indicou o FMI, na sua revisão da economia da zona euro.

Yellen e mais cinco. Esta será a equipa económica da administração Biden

Para a equipa de Yellen, Biden indicou ainda Wally Adeyemo como secretário-adjunto do Tesouro; Neera Tanden como diretor do gabinete de Gestão e Orçamento; Cecilia Rouse como presidente do Conselho de Consultores Económicos e Jared Bernstein e Heather Boushey como membros do Conselho de Consultores Económicos.

3 mil milhões de euros. Primeira tranche do apoio europeu a Portugal chega esta terça-feira

Este valor de 3 mil milhões de euros, que está incluído no programa SURE, com um valor total de 5.900 milhões de euros para ajuda ao emprego, destina-se a apoiar trabalhadores e empresas e vai ser financiado através de um empréstimo a Portugal por parte da Comissão Europeia.
Comentários