Vão existir mais 22% de multimilionários até 2024

O ano de 2018 fechou com 2.229 fortunas multimilionárias, mais 8% do que no ano anterior. Amâncio Ortega lidera a lista em Espanha e é o sexto mais rico do mundo, com uma fortuna de 50,4 mil milhões de euros.

A população multimilionária, que apresenta uma riqueza superior a 30 milhões de dólares (27 milhões de euros), deverá crescer 22% durante os próximos cinco anos, aumentado para perto de 250 mil pessoas.

Ainda que se verifique o agravamento de uma perspetiva económica, há analistas que prevêem uma desaceleração ou recessão ao longo de 2019 e 2020. No entanto, estima-se que a criação de riqueza irá continuar durante o presente ano e, que até dezembro, se ultrapasse os 20 milhões de multimilionários mundiais.

Este valor irá fazer com que a economia asiática desempenhe um papel importante, de acordo com o jornal espanhol ‘Cinco Dias’. Assim, verificar-se-á um importante crescimento do poder de compra da população asiática, que deverá fechar 2019 com 5,8 milhões de milionários. A Europa deverá chegar aos 5,9 milhões e a América do Norte aos 6,6 milhões de milionários.

Até 2024, a Índia vai liderar o ranking, tendo uma previsão de aumento de 39%, com ativos acima de 30 milhões de dólares (26,67 milhões de euros). Segue-lhe as Filipinas, com uma previsão de 38% e a China com 35%.

O ano de 2018 fechou com 2.229 fortunas multimilionárias, mais 8% do que no ano anterior. Ainda que estes valores apresentem um forte crescimento, ainda não atingem os níveis de 2017, quando os mercados imobiliários, de títulos e de investimentos em bens de luxo apresentaram um ano recordo, garantem os especialistas da Knight Frank.

Segundo o jornal espanhol, Espanha terminou 2018 com 4.111 pessoas com fortunas superiores a 30 milhões de dólares, representando um aumento de 5% em relação a 2017. Os milionários, por sua vez, cresceram 4% para atingir mais de 261 mil. O número de multimilionários aumentou para 29, mais 16% do em 2017. A lista destes últimos é liderada por Amâncio Ortega, dono da Zara, e o sexto mais rico do mundo, com uma fortuna avaliada em 50,4 mil milhões de euros.

Jeff Bezos lidera a lista da Forbes de 2019, seguido por Bill Gates, Warren Buffett e Bernard Arnault.

Ler mais
Relacionadas

Forbes: Jeff Bezos da Amazon é o mais rico do mundo pelo segundo ano consecutivo

Segundo a “Forbes” há 2.153 multimilionários no mundo, menos 55 do que em 2018. Somando o património de todos, encontra-se um produto total de 8,7 biliões de dólares, o que representa um decréscimo de 400 mil milhões de dólares face a 2018. Bezos, Bill Gates e Warren Buffet estão no topo da lista.

Kylie Jenner do clã Kardashian é a mais jovem multimilionária de sempre

Para a Forbes, a irmã mais nova do clã Kardashian-Jenner é a mais jovem multimilionária da história.

De Buffet a Zuckerberg: estes multimilionários não vão deixar a herança aos filhos

Têm milhões na conta mas não os querem deixar aos filhos. Uns não “acreditam em dinheiro herdado”, outros “não os querem estragar”.

Multimilionários britânicos fogem aos impostos. Brexit revela contas escondidas

Jim Ratcliffe, o homem mais rico do Reino Unido, conseguiu evitar o pagamento de mais de 4,5 mil milhões de euros aos cofres britânicos, que implica alterar a sua residência para o Mónaco.

Apesar de ser presidente dos EUA, Trump subiu na lista dos mais ricos do mundo

Ainda que a sua fortuna se mantenha igual face a 2018, Donald Trump subiu na lista dos mais ricos a nível mundial. A sua fortuna está avaliada em 3,1 mil milhões de euros.
Recomendadas

Castro Marim na mira das Belas-Artes

Academia e autarquia juntas na preservação de património imaterial. Alunos da Universidade de Lisboa dão nova vida a artes tradicionais do concelho.

“O Endurance. Encurralados no Gelo”

Uma aventura extraordinária em que a sobrevivência só foi possível graças à liderança carismática de Shackleton. Eis a sugestão de leitura desta semana da livraria Palavra de Viajante.

Cantor Plácido Domingo acusado de assédio sexual por nove mulheres

Oito cantoras e uma bailarina disseram ter sido assediadas sexualmente por Plácido Domingo, numa série de acontecimentos que ocorreram ao longo de três décadas, em espaços que incluíam companhias de ópera onde o cantor ocupava cargos de direção.
Comentários