Wall Street começa semana no vermelho depois de dados desapontantes nos EUA e China

A semana arrancou com dados negativos sobre a produção industrial americana e chinesa, onde os números do crescimento no terceiro trimestre também desapontaram ao mostrar uma evolução do PIB abaixo do esperado.

Wall Street arrancou a primeira sessão da semana no vermelho, depois de dados desanimadores sobre a produção industrial na maior economia do mundo revelarem um abrandamento inesperado em setembro, colocando algumas dúvidas em relação à magnitude da recuperação em curso.

O Dow Jones perdeu 130 pontos no arranque, ou 0,3%, caindo para os 35.183. Já o S&P 500 recuou 0,1% até aos 4.467 pontos, enquanto o Nasdaq permanecia inalterado.

O dia começou com dados fracos e abaixo das expectativas no que respeita à produção industrial nos EUA, que abrandou 1,3% em setembro, colocando os investidores de sobreaviso com o que parece ser mais um sinal dos efeitos das disrupções nas cadeias de fornecimento de vários componentes industriais.

Outro fator a contribuir para o desânimo dos mercados no início desta semana prende-se com os números de crescimento chinês no terceiro trimestre. A segunda maior economia global cresceu apenas 4,9%, o que fica abaixo da previsão de 5,3% dos analistas do Dow Jones. Este resultado foi também acompanhado de uma queda na produção industrial do país.

No entanto, a tendência dos mercados norte-americanos pode alterar-se em breve, dada a iminência de novas divulgações de resultados trimestrais. Assim, parte da queda verificada na sessão desta segunda-feira deve-se igualmente a um movimento de correção, dada a expectativa de fortes resultados anunciados esta semana, incluindo em títulos com um peso substancial nos índices norte-americanos, como a Netflix, Johnson&Johnson (ambas já esta terça-feira), IBM, Intel ou American Express.

Recomendadas

OPEP + concorda no aumento da produção de petróleo em janeiro

Por forte pressão principalmente dos Estados Unidos, a OPEP + aceitou fazer qualquer coisa para combater a subida dos preços do petróleo nos mercados mundiais. A decisão demorou, para desespero dos consumidores.

Wall Street com forte recuperação depois de vencer o medo da Omicron

Os sinais, ainda muito longe de estarem consolidados, de que a nova variante da Covid-19 oriunda de África do Sul não será tão grave como o esperado, foi suficiente para libertar os investidores. Um grande dia para os mercados.

PSI-20 cai 5,2% em Novembro. Grupo EDP e Jerónimo Martins lideraram representatividade

A Jerónimo Martins (15,10%), a EDP Renováveis (13,49%) e a EDP (10,42%) foram os emitentes com maior representatividade no índice. Os dados foram divulgados pela CMVM.
Comentários