Pelo menos 12 países europeus acreditam na meta de vacinar 70% da população até julho

A confiança do comissário europeu foi motivada pelo anúncio de que os países da União Europeia receberão mais de 50 milhões de vacinas produzidas pela Pfizer e BioNTech neste trimestre.

Pelo menos 12 dos 27 Estados-membros da União Europeia (UE) revelaram estar confiantes de que o objetivo de vacinar 70% da população adulta até meados de julho se vai cumprir, informou o comissário europeu para o Mercado Interno, Thierry Breton citado pela “Reuters”.

“Estamos confiantes de que seremos capazes de administrar doses suficientes, mas também é verdade que cabe aos Estados-membros organizarem-se para que isso aconteça”, frisou Thierry Breton acrescentando que atualmente existem “pelo menos 12 Estados membros dizem estar totalmente confortáveis ​​com esse valor”.

Apesar da revelação, Thierry Breton não identificou os 12 estados membros nem disse quais são os que se sentem menos confortáveis com ​​a taxa de vacinação de 70%.

A confiança do comissário europeu foi motivada pelo anúncio de que os países da UE receberão mais de 50 milhões de vacinas produzidas pela Pfizer e BioNTech neste trimestre. Segundo Breton, esta informação deu ao executivo comunitário um conforto adicional relativamente ao cumprimento dos calendários de entrega.

A confiança no plano de vacinação também inclui o sucesso na entrega de outras vacinas. Thierry Breton acredita que a AstraZeneca será capaz de entregar os 70 milhões de vacinas que tinha ficado prometidas, um valor inferior ao prometido inicial, mas que vai contribuir para que os estados membros se aproximem dos objetivos de vacinar 80% da população adulta.

À parte dos aspetos positivos do processo de vacinação, Thierry Breton confessa ainda que as boas notícias da Pfizer e BioNTech e a esperança de que a AstraZeneca cumpra o que ficou acordado com a UE permitem que exista “espaço de manobra” para lidar com a redução do número de vacinas da Johnson & Johnson do que o esperado.

De recordar que esta terça-feira a Agência Europeia do Medicamento (EMA) vai anunciar o seu parecer sobre a vacina da Johnson & Johnson e a relação da vacina com formação de coágulos sanguíneos.

Ministra da Saúde aponta para 70% da população vacinada até ao fim do verão

 

Ler mais
Relacionadas

Responsáveis dos Assuntos Europeus discutem hoje relações UE-Reino Unido

Os ministros e secretários de Estado dos Assuntos europeus reúnem-se esta terça-feira para discutirem as relações entre a União Europeia e o Reino Unido e abordarem os preparativos para o lançamento da Conferência sobre o Futuro da Europa.
Marcelo Rebelo de Sousa no Infarmed

Marcelo diz que reuniões do Infarmed não têm “paralelo em qualquer outra experiência externa” (com áudio)

O Presidente da República considera que as reuniões do Infarmed, que juntam especialistas, líderes políticos e parceiros sociais, são realizadas “num quadro político e institucional sem paralelo em qualquer outra experiência externa”.

Empresas farmacêuticas não cumpriram compromisso de produção da vacina com a UE

As grandes empresas farmacêuticas não cumpriram o seu compromisso com a União Europeia de produzir e garantir a distribuição de vacinas contra a covid-19 para “chegarem ao mundo inteiro” sem necessidade de “medidas extraordinárias”, segundo um relatório.
Recomendadas

Meses de Verão vão “mitigar os prejuízos” dos sector das viagens, mas recuperação vai demorar, alertam agências de viagens

Segundo o vice-presidente da ssociação de Sócios Gerentes das Agências de Viagens e Turismo “o Algarve continuará a ser a região de eleição e os turistas britânicos vão ter muito peso no aumento do turismo no país”.

Laboratório francês Sanofi pode ter vacina contra a Covid-19 até ao final do ano

O laboratório francês Sanofi anunciou, esta segunda-feira, que a sua vacina está a ter bons resultados nos ensaios clínicos e o seu presidente disse mesmo que este novo medicamento pode começar a ser produzido até ao final do ano.

INSA avança com seis estudos de efetividade das vacinas contra a Covid-19

A efetividade das vacinas contra a covid-19 em Portugal está a ser monitorizada através de seis estudos coordenados pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, anunciou, esta segunda-feira, o presidente do INSA, Fernando de Almeida.
Comentários