António Costa vs André Silva: um debate “sem divisões” com o PAN a elogiar “evolução positiva” do PS

Debate entre dirigentes mostrou proximidade nas questões orçamentais. Divergências apareceram no ritmo de encerramento das centrais a carvão, na agricultura e no turismo intensivo.

O debate entre António Costa (PS) e André Silva (PAN), esta quarta-feira, revelou proximidade entre os dois dirigentes partidários quanto a matérias orçamentais. E, no capítulo ambiental, o socialista ouviu um elogio do deputado ecologista quanto à “evolução positiva” do PS durante a legislatura, apesar de subsistirem divergências na agricultura e no turismo intensivos.

“Tem havido por parte do PS, nos últimos quatro anos, uma evolução positiva do PS nas matérias ambientais”, reconheceu André Silva, atribuindo esse avanço à oposição feita pelo PAN no Parlamento, que conseguiu levar os socialistas a tomar posições mais favoráveis ao ambiente.

O deputado do PAN assinalou depois que o PS peca, em “algumas matérias”, por ser “pouco ambicioso”, porque “coloca a primazia do crescimento económico sobre a conservação dos habitats e dos ecossistemas”, dando o exemplo do ritmo demasiado lento de encerramento das centrais a carvão no país.

Costa retorquiu manifestando-se comprometido com as questões ambientais e a emergência climática – lembrou que criou o ministério da transição energética -, mas que “não podemos comprometer-nos com o encerramento das centrais a carvão sem haver alternativas seguras” que não causem uma “disrupção” do abastecimento do país. “Nos objetivos não há uma divisão entre nós. Há talvez uma divergência quanto ao ritmo”, disse.

André Silva criticou também o modelo de crescimento “pouco sensato” quanto à carga turística e à agricultura com mais impactos no ambiente, nomeadamente a facilitação do olival intensivo. “O PS está a transformar o Alentejo num olival intensivo”, criticou, sublinhado os efeitos nocivos na erosão e contaminação dos solos.

António Costa refutou a acusação com estatísticas. “O Alentejo tem três milhões de hectares e 170 mil são dedicados ao olival. E a parte relativa ao olival intensivo é 1,5% da área do Alentejo”, disse, argumentando que o PS segue uma “visão equilibrada”. “Não queremos um regime económico de predador, mas temos de gerar riqueza e autossuficiência para o país. Não podemos ser um país que não aproveita os seus recursos”, afirmou.

Num debate com elevado interesse político – caso o PS não obtenha maioria absoluta, abre-se a possibilidade de eventuais acordos com o PAN, que tem vindo a crescer nas sondagens – o tom acabou por ser de concordância em matérias orçamentais.

André Silva defendeu que Portugal deve “cumprir os tratados”, mas não é necessário ir mais além. “O PS pretende – e bem – reduzir a dívida face ao produto, fazer investimentos públicos e garantir excedentes orçamentais”. O deputado frisou que o PAN é “um bocadinho mais conservador” e prefere apontar para um saldo orçamental de 0,5%, em vez da eliminação total do défice, para que haja “alguma folga” para mais benefícios sociais e investimento público caso haja uma desaceleração económica.

Costa frisou também a necessidade de uma consolidação orçamental equilibrada. “Se tivermos saldos primários positivos sem cortar salários e pensões, dá-nos mais margem para enfrentar uma crise”.

Ler mais
Relacionadas

“Estamos a falar de trocos”. PAN explica impacto da medida conhecida como ‘SNS para animais’

No início da semana, André Silva, porta-voz do PAN, explicou na Antena 1 a medida 676 do programa eleitoral do partido. Afinal, esta medida pode ser o primeiro passo para que Portugal tenha uma espécie de SNS para animais?

“António Costa está a enganar os portugueses?” Catarina Martins revela o que espera do líder do PS

Líder bloquista acusa o PS de falta de transparência no programa eleitoral em relação aos números para os próximos 4 anos. Quando questionada: “Está António Costa a enganar os portugueses?” Responde: “Era bom que dissesse ao que vem”.
Recomendadas

PS quer rever cobrança coerciva de dívidas não fiscais pela AT

O PS entregou hoje uma proposta de alteração ao Orçamento em que defende uma revisão da cobrança coerciva de dívidas de portagens e de outras dívidas não fiscais por parte da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT).
ana_catarina_mendes_ps_legislativas

PS com disciplina de voto para fixar IVA da tauromaquia em 23%

A líder parlamentar do PS afirmou hoje que haverá disciplina de voto na sua bancada para concretizar o objetivo do Governo de fixar o IVA dos espetáculos tauromáquicos em 23% no Orçamento do Estado para 2020.

OE2020: Livre apresenta 32 alterações e diz que 11 têm “sinalização positiva” do Governo

A deputada única do Livre, Joacine Katar Moreira, anunciou hoje que 11 das 32 propostas de alteração que apresentou ao Orçamento do Estado receberam “sinalização positiva” por parte do Governo.
Comentários