Da Irlanda para a Europa: Paschal Donohoe sucede a Centeno na presidência do Eurogrupo

Paschal Donoe é o quarto presidente do Eurogrupo depois do luxemburguês Jean-Claude Juncker (2005-2013), do holandês Jeroen Dijsselbloem (2013-2018) e o português Mário Centeno (2018-2020).

Paschal Donohoe é oficialmente o próximo sucessor de Mário Centeno e ocupará a presidência do Eurogrupo nos próximos dois anos e meio. Será o primeiro irlandês neste cargo. O seu percurso profissional está marcado pela política, economia e o turismo. Já viveu em Inglaterra e depois regressou à Irlanda e agora ocupa a posição de Presidente do Eurogrupo. Antes de ser eleito, Paschal Donohoe, puxou dos galões e recordou que é “um dos ministros das Finanças da União Europeia e membro do Eurogrupo” em exercício há mais tempo.

Paschal Donoe nasceu em 1974, em Phibsborough , Dublin, e estudou no colégio St. Declan, em Cabra, na Irlanda. Do norte passou para a costa leste da Irlanda, onde estudou Política e Economia no Trinity College, em Dublin, segundo o Irish Independent.

Rapidamente Paschal Donohoe entrou no mundo do trabalho, na multinacional Procter & Gamble, em 1997. Foi viver para o Reino Unido para poder desempenhar a função de diretor de vendas e marketing e mais tarde, em 2003 regressou à Irlanda e decidiu investir na sua carreira política.

O investimento político começou no Conselho da Cidade de Dublin, quando foi eleito, em 2004, por Glasnevin. Atuou em vários comités antes da sua eleição para o Seanad Éireann, o Senado da Irlanda, em 2007 e  no Dáil Éireann, parlamento Irlandês, em 2011.

Em 2013, Paschal Donoe chegou a ministro irlandês dos Assuntos Europeus, após a renúncia de Lucinda Creighton em julho de 2013. Depressa foi promovido, um ano depois, a ministro dos Transportes, Turismo e Desporto. Em 2016, formou o Fine Gael, um partido político democrata-cristão da República da Irlanda e foi nomeado ministro da Despesa Pública e Reforma da Irlanda, para dali a um ano passar a assumir a pasta de ministro das Finanças.

O irlandês, que anunciou a sua candidatura ao Eurogrupo a 25 de junho, recebeu o apoio do PPE. Além da própria Irlanda, Paschal Donoe contou com os votos da Áustria, Eslováquia, Letónia, Chipre e Eslovénia.

“O presidente do Eurogrupo tem um papel crucial a desempenhar na resposta política às principais questões económicas, onde se inclui impacto da pandemia de covid-19”, referiu Donohoe, num comunicado onde anunciou a sua candidatura.

Paschal Donoe é o quarto presidente do Eurogrupo depois do luxemburguês Jean-Claude Juncker (2005-2013), do holandês Jeroen Dijsselbloem (2013-2018) e o português Mário Centeno (2018-2020).

Ler mais

Relacionadas

Paschal Donohoe leva a melhor perante Nadia Calviño e é eleito presidente do Eurogrupo

Mário Centeno passa a pasta ao irlandês, que assume funções na segunda-feira, mas a primeira reunião sob a sua presidência apenas terá lugar em setembro. A eleição desta quinta-feira decorreu de forma eletrónica e secreta. No final da reunião, o ministro das Finanças de Malta agradeceu em nome do grupo o trabalho do ex-homólogo português ao longo dos últimos dois anos e meio.

Centeno seguro de que deixa liderança do Eurogrupo “em boas mãos”

Argumentando que “estes últimos dois anos mostraram como o Eurogrupo pode liderar não só a zona euro mas o conjunto da UE, ao aproximar ainda mais a União”, Centeno apontou que os três candidatos à sua sucessão – a espanhola Nadia Calviño, o irlandês Paschal Donohoe e o luxemburguês Pierre Gramegna – “estiveram em incontáveis reuniões de longas horas” e “sabem o quão importante este grupo é”.
Recomendadas

PremiumQueda da população ativa pode impedir recuperação económica rápida

A taxa de desemprego desceu no segundo trimestre, mas o impacto da pandemia no turismo e o aumento da concorrência global na era do teletrabalho preocupam os especialistas consultados pelo JE.

Estigma com produtos da China e quebra de turistas deixam restaurantes chineses em crise

Os restaurantes chineses sofrem mais quebras no negócio do que os restaurantes nacionais devido ao estigma associado a produtos da China, país onde o novo coronavírus foi detetado pela primeira vez, e porque o turista asiático deixou de visitar Portugal.

Covid-19: Direção do consumidor emite quatro alertas no mesmo dia sobre máscaras

Quatro modelos de máscaras com insuficiente retenção de partículas no material filtrante foram na semana passada, num só dia, motivo de alertas da Direção-geral do Consumidor (DGC) e sistema europeu de alerta rápido para produtos não alimentares (Rapex).
Comentários