Estes são os melhores países para desfrutar da sua reforma (e Portugal está na lista)

Como quer viver a sua reforma? A revista International Living escolheu os destinos de sonho para gozar este período e explica porque Portugal é um país a considerar.

A revista International Living divulgou recentemente o recente Índice Anual de Aposentadoria Global, que lista os 10 principais destinos para desfrutar da reforma e inclui Portugal na sétima posição.

A pesquisa analisa uma série de fatores que afetam a qualidade de vida de cada país, incluindo clima, estilo de vida local, custo de vida, saúde, requisitos de visto e residência e como é fácil para os recém-chegados se integrarem quando chegam.

Destinos clássicos como México e Costa Rica continuam populares devido à sua acessibilidade, clima quente, burocracias fáceis e comunidades expatriadas estabelecidas, mas a lista de 2019 também inclui recém-chegados, como a Tailândia.

Mantendo a sétima posição no índice deste ano, Portugal integra na lista devido ao clima ameno, acolhedor e um ritmo de vida descontraído. O idioma inglês é relativamente bem falado nas áreas metropolitanas e especialmente, em regiões costeiras devido aos desportos aquáticos. Para além de ser um país agradável para se viver, também é agradável à carteira por ser um dos mais baratos na UE, destaca a revista International Living.

 

Recomendadas

Serralves e Gulbenkian no mapa cultural do Bankinter

Fundador de Serralves desde 2019, o Bankinter anuncia também o apoio à exposição “Cérebro, mais vasto que o céu”, organizada pela Fundação Calouste Gulbenkian.

Um dos melhores restaurantes de praia da Europa fica em Portugal

A lista foi elaborada por escritores de viagens do jornal britânico ”The Guardian” que caracteriza o local como sendo ”perfeito para almoços longos ou noites românticas”. Restaurante português figura entre restaurantes na Grécia, Espanha ou Itália.

De Paris a Nova Iorque. Estas são as cidades mais caras do mundo

Houve alterações no topo do ranking das cidades mais caras do mundo, compilado pela Economist Intelligence Unit.
Comentários