Ganhos de 5% da Tesla animam investidores em Wall Street

O Dow Jones avança ligeramente 0,3% para 27,837 pontos, o S&P 500 0,28% para 3,361 pontos e o Nasdaq sobe 9,59% para 11,141 pontos.

Trader Peter Tuchman works on the floor at the opening of the day’s trading at the New York Stock Exchange (NYSE) in Manhattan, New York City, U.S., December 22, 2016. REUTERS/Andrew Kelly

Os índices em Nova Iorque abriram a última sessão desta semana em alta com as “informações contraditórias relativamente ao timing de chegada da vacina Covic-19 e a possibilidade de novos estímulos fiscais nos EUA”, refere Ramiro Loureiro, analista do BCP investment baking.

Assim, o Dow Jones avança ligeramente 0,3% para 27,837 pontos, o S&P 500 0,28% para 3,361 pontos e o Nasdaq sobe 0,59% para 11,141 pontos.

A Tesla está entre as contadas com maior valorização, subindo 5,4% para 446,50 dólares, “na semana que antecede o importante evento Battery Day”, acrescenta o analista. Também BioNTech ganha terreno ao crescer 1,9% para 15,91 dólares, depois da farmacêutica ter anunciado a aquisição da Novartis que permitirá produzir mais de 500 milhões de doses da vacina contra a Covid-19.

As farmacêuticas Pfizer e Moderna também acompanham as subidas, 0,2% e 1,9% para 26,79 e 15,91 dólares, respetivamente.

Em sentido contrário, a Beyond Meat está entre a que mais perde, recuado 4,7% para 149,83 dólares, enquanto que a Texas Instruments recua 3% para 128,60 dólares. “A fabricante de semicondutores norte-americana elevou o dividendo trimestral de 0,90 dólares para 1,02 dólares por ação”, refere Ramiro Loureiro.

 

 

 

Ler mais

Recomendadas

Bolsa de São Paulo cai 4,25% com novas restrições na Europa face à pandemia

A bolsa paulista registou assim a sua quarta queda consecutiva, enquanto o dólar norte-americano continua a subir e hoje valorizou 1,31%, fechando a sua cotação em 5,75 reais (0,85 cêntimos de euro) para compra e venda.

Wall Street fecha em queda acentuada e Dow atinge o valor mais baixo desde julho

As ações foram castigadas pela 2.ª vaga da Covid-19. A crescente pandemia e o fracasso de Washington em alcançar um acordo em torno de um novo estímulo fiscal antes das eleições de 3 de novembro levaram todos os três índices de ações a fecharem em queda de mais de 3%. O petróleo também sofreu uma queda significativa.

Covid-19 arrasa bolsas. DAX tomba 4% e PSI-20 perde 2% com derrocada da Galp

O petróleo continua a tendência descendente devido às restrições em numerosos países para travar a segunda vaga da pandemia de Covid-19, sobretudo nos Estados Unidos e Europa. A queda de 5% arrastou para perdas de 7% as ações da Galp. O índice alemão DAX tombou mais de 4% e liderou as quedas, castigado pelo anúncio da Chanceler alemã de um novo lockdown parcial no país durante o mês de novembro.
Comentários