Lítio: João Galamba vai visitar local de prospeção da Savannah em Boticas

O secretário de Estado Adjunto e da Energia vai encontrar-se com os responsáveis da empresa concessionária.

João Galamba, secretário de Estado Adjunto e da Energia, vai visitar na próxima segunda-feira, dia dia 11 de novembro o local de prospeção previsto para explorar lítio em Boticas e Covas de Barroso, por parte da concessionária, a empresa britânica Savannah.

De acordo uma nota de agenda, João Galamba vai visitar na próxima segunda-feira as minas de Boticas e de Covas de Barroso, onde decorrem trabalhos de pesquisa e de prospeção a cargo da empresa Savannah.

Está previsto um encontro entre o secretário de Estado na Câmara Municipal de Boticas, seguindo-se uma partida para Covas de Barroso.

O programa prevê ainda uma breve reunião com os responsáveis da Savannah e uma visita ao centro de informação de Covas do Barroso.

A deslocação de João Galamba deverá concluir-se com uma visita ao local de prospeção, no Alto de Alijó.

A aposta nas minas de lítio tem gerado grande contestação por parte de comunidades locais e de organizações ambientalistas.

As últimas informações divulgadas apontam pata que o estudo de impacto ambiental desta mina seja concluído até ao final deste ano, estando revisto que, em fase de exploração, se possam retirar do local cerca de 25 camiões de minério por dia.

Ler mais
Recomendadas

PremiumCEO da Transavia: “Portugal é o nosso primeiro mercado”

Nathalie Stubler diz que as medidas tomadas no nosso país facilitaram a reabertura das operações.

Ministro britânico afirma que Huawei deverá reunir condições para desenvolvimento do 5G

“Tenho certeza de que o Conselho de Segurança Nacional analisará essas mesmas condições e tomará a decisão certa, para garantir que temos uma infraestrutura de telecomunicações muito forte, mas também segura”, disse este domingo Matt Hancock.

Empresas portuguesas podem pagar menos impostos em Angola

O governo angolano considera que o objetivo fundamental das alterações fiscais é “tornar ou desonerar a carga fiscal nos rendimentos mais baixos, conservar ou manter a carga fiscal dos rendimentos de escalões intermédios e introduzir progressividade nos rendimentos mais altos”.
Comentários