Portugal continua com menos gente e cada vez mais velho

Uma população mais pequena, mais idosa, mas com poucas diminuições na percentagem em risco de pobreza. Tendência de decréscimo populacional e envelhecimento poderia ser ainda mais notória, não fosse o saldo migratório

Celebra-se este sábado, 11 de julho, o Dia Mundial da População e a Pordata apresenta hoje a edição deste ano do seu “Retrato de Portugal”, no qual se propõe a uma caracterização da sociedade portuguesa, baseada em 17 áreas-chave, como população, rendimento e condições de vida, educação, saúde, emprego ou proteção social.

Portugal tinha, em 2019, menos cerca de 282 mil pessoas do que em 2009, fixando-se, assim, a sua população em 10,3 milhões de pessoas. O decréscimo verificado foi motivado sobretudo por uma diminuição dos nascimentos (86.579 em 2019, com um índice de fecundidade de 1,42), mas o saldo migratório acabou por suavizar esta tendência, dado que foram mais cerca de 45 mil pessoas a entrar no país do que a deixá-lo. Portugal regista uma população progressivamente mais envelhecida, verificável pelo facto de o grupo dos maiores de 65 anos ter sido o único a crescer de 2009 para 2019, com um aumento de 18%. Há agora 161 idosos por cada 100 jovens.

Também os agregados familiares em Portugal evidenciaram alterações ao último dos 10 anos, como atesta a percentagem de nascimentos fora do casamento (de 38,1% em 2009 passou para 56,8% em 2019) ou a diminuição do número de casamentos (menos 7 mil entre 2009 e 2019, quando se realizaram 33.272, descida esta motivada quase exclusivamente pela queda dos casamentos católicos), aponta a Pordata.

Em termos económicos, o rendimento médio disponível das famílias fixou-se, em 2018, nos 32.426€, isto a preços constantes de 2016, e a taxa de poupança ficou-se pelos 5% do PIB (7% em termos de rendimento disponível). A taxa de pobreza pouco variou no intervalo analisado, tendo passado de 18% para 17% de 2009 para 2019.

No entanto, entre os jovens o valor situa-se nos 19%, quase 1/5 da população com menos de 18 anos. Estes resultados não podem ser dissociados da taxa de abandono escolar de 11% ou do facto de, em 2019, 52% da população com mais de 15 anos ter o ensino básico como nível de escolaridade mais elevado, de acordo com a base de dados da Fundação Francisco Manuel dos Santos, que assinala este ano o 10º aniversário.

Recomendadas

OE2021: Aprovada proposta para pagamento em prestações de IVA e IRC até 15 mil euros

A medida aplica-se apenas a tributos cujo valor no momento do requerimento e a pagar em prestações seja inferior a 15.000 euros.

Aprovada proposta que remete concurso do ‘IVAucher’ para fiscalização à posteriori do TdC

Em causa está um mecanismo, apelidado de ‘IVAucher’, que permite ao consumidor final acumular o valor correspondente à totalidade do IVA suportado em consumos nos setores do alojamento, cultura e restauração, durante um período (12 semanas) e utilizar esse valor, durante as 12 semanas seguintes, em consumos nesses mesmos setores.

Receita fiscal do Estado com quebra homóloga de 2,8 mil milhões até outubro

Esta evolução da receita fiscal líquida acumulada do subsetor Estado, assinala a DGO, reflete de forma evidente os efeitos da pandemia de covid-19.
Comentários