PSI-20 termina dia a somar mais de 1%

Além da EDP, que encerrou o dia a valorizar 0,87% para 4,51 euros, a Altri avança 4,43% para 5,42 euros, a Navigator a ganha 4,54% para 3,09 euros e o Banco Comercial Português perdeu 0,82% para 0,121.

A bolsa de Lisboa terminou sessão desta quarta-feira a valorizar, tal como as congéneres europeias. Assim, PSI-20 somou 1,13% para 5.094,57 pontos tendo sido influenciado pelo sector do papel e da energia.

Em comparação ao dia de ontem a bolsa de Lisboa recuperou de uma queda de 1,24%. Hoje a tendência negativa mudou com a ajuda de empresas portuguesas como a EDP renováveis que encerra sessão a somar 0,87% para 4,51 euros. Esta quarta-feira a EDP renovaveis revelou que os lucros registaram uma quebra de 44% para 142 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, uma informação que parece não ter afetado os mercados.

Além da EDP, a Altri avança 4,43% para 5,42 euros, a Navigator a ganha 4,54% para 3,09 euros e o Banco Comercial Português perdeu 0,82% para 0,121. Tal como o BCP a Galp Energia desvalorizou 0,61% para 8,42%.

Entre as congéneres europeias, o alemão DAX valorizou 0,33%, o britânico FTSE 100 apreciou 0,29%, o francês CAC 40 avançou 1,19% e o IBEX 35 somou 0,40%.

No mercado cambial, o euro cai 0,01 % face ao dólar, para 1,1813 dólares. Na relação com a libra, a moeda única da zona euro sobe 0,01%, para 0,8510 libras. A libra aprecia 0,05% face ao dólar, para 1,3880 dólares.

Recomendadas

EDP, Galp e BCP impulsionam bolsa de Lisboa

Galp dispara mais de 2% liderando os ganhos no PSI 20. Investidores vão estar hoje atentos à reunião da reserva federal norte-americana.

Wall Street fecha mista no primeiro dia de reunião da Fed

A Uber disparou 11% depois de informar que prevê que o EBITDA ajustado da empresa possa ser positivo em 25 milhões de dólares (cerca de 21 milhões de euros), o que representa uma melhoria face à perda antes estimada de 100 milhões de dólares (perto de 85 milhões de euros).

Moody’s sobe rating da CP

“A subida tem em conta as fortes ligações entre a Comboios de Portugal e o soberano, do qual recebe um apoio financeiro considerável”, considerou Francesco Bozzano, o analista da empresa na agência norte-americana, onde tem o cargo de analista vice-presidente-sénior.
Comentários