Ricardo Leão: “Se o PCP tiver um mau resultado nestas Autárquicas, terá muito mais receio de ir a votos nas Legislativas”

Com as negociações para o OE2022 à porta, que consequências pode ter uma eventual vitória do PS num concelho gerido pelo PCP? O candidato socialista à Câmara de Loures acredita que os comunistas terão que pensar duas vezes se vale a pena forças eleições legislativas com um eventual chumbo do Orçamento do Estado.

Atual presidente da Assembleia Municipal de Loures, o deputado socialista Ricardo Leão candidata-se à presidência da Câmara de Loures para, tal como referiu no programa “Primeira Pessoa”, da plataforma multimédia JE TV, pôr fim a um “ciclo de empobrecimento, degradação, desinvestimento e até abandono” do concelho.

Na tentativa de derrotar o incumbente comunista Bernardino Soares tem contado com apoio de altas figuras do Governo na campanha e garante que nenhum dirigente do PS lhe mostrou reservas pelo efeito que um novo desaire da CDU nas autárquicas possa ter na viabilização do Orçamento do Estado para 2022.

Entre as prioridades para desenvolver Loures, Ricardo Leão destaca a necessidade de atrair empresas dos sectores da investigação e ciência, e sobretudo o máximo aproveitamento das verbas do Plano de Recuperação e Resiliência.

Caso tenha perdido a emissão de outras entrevistas a candidatos autárquicos, ouça aqui o novo podcast “JE Autárquicas 2021” para acompanhar as propostas e os projetos para as outras câmaras do país.

Relacionadas

“Loures? Terei todo o prazer de ligar ao secretário-geral do PS e dizer: ‘António, conseguimos!'”. Veja o “Primeira Pessoa” com Ricardo Leão

Acompanhe o programa “Primeira Pessoa” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.
Recomendadas

Carlos Moedas toma posse como presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Veja em direto

O antigo comissário europeu sucede a Fernando Medina na liderança da Câmara Municipal de Lisboa. Veja a tomada de posse em direto.

PremiumUnião fez a força para o centro-direita retirar câmaras aos socialistas

Coligações lideradas pelos sociais-democratas conquistaram mais 20 autarquias sem perder nenhuma. PSD isolado teve saldo nulo com PS.

PremiumEleições geram meia centena de imbróglios autárquicos

Porto e Sintra juntam-se às câmaras em que os vencedores estão em minoria na vereação e na assembleia municipal. Mais complicada que Lisboa talvez só mesmo Évora, e número de executivos minorítários disparou em relação a 2017.
Comentários