Setor da cortiça cresceu 35% em volume de negócios entre 2014 e 2018

Responsável por 50% da produção mundial e 60% das exportações de cortiça em todo o mundo, o setor cresce em vários indicadores no mercado português.

O setor da cortiça em Portugal e no mundo tem crescido nos últimos anos, aponta o relatório anual da Associação Portuguesa da Cortiça (APCOR). Portugal, o maior produtor mundial do material e responsável por 60% das exportações mundiais, experienciou um aumento de 35% no volume de negócios entre 2014 e 2018, tendo atingido os 1.750 milhões de euros neste último ano.

Num setor que empregou, em 2018, 8.164 colaboradores (um aumento de 7% em relação a 2014), o resultado líquido ficou 79% acima do registado em 2014, com 78 milhões de euros no final do exercício. Os ativos, fundos de maneio, dívida e capitais próprios das empresas deste ramo também cresceram todos em relação a 2014.

O relatório destaca o crescimento da cortiça acima da média de outras indústrias transformadoras, com 7,7% contra 2,6%, respetivamente, tendência que se verifica também na rentabilidade mediana (7,5% contra 6,3%). Ainda assim, a criação de valor, medida pelo valor acrescentado bruto (VAB), experienciou um crescimento aquém da média das indústrias transformadoras comparáveis, com 18% contra 30,5%.

Recomendadas

Bayer compra empresa de biotecnologia americana por 3,3 mil milhões de euros

A empresa alemã vai pagar metade da verba, enquanto a outra metade será paga de acordo com os objetivos atingidos pela Asklepios BioPharmaceutical, que aposta em terapias genéticas e tratamentos contra a doença de Parkinson e problemas cardíacos.

Allianz compra 75% da Galp Gás Natural Distribuição por 368 milhões

A operação ficou fechada por 368milhões de euros. A Galp Gás Natural Distribuição detém nove empresas regionais de distribuição de gás natural em Portugal.

Estudo de impacto ambiental dá ‘luz verde’ ao projeto de modernização do terminal de contentores de Alcântara

Em entrevista ao Jornal Económico, Diogo Marecos, administrador da Liscont, concessionária do terminal detida pelo grupo turco Yilport, garante que a empresa está pronta para avançar com este projeto no primeiro trimestre de 2021, cujo investimento, de 120 milhões de euros, será da sua exclusiva responsabilidade.
Comentários