S&P 500 arranca para novos máximos em início de sessão misto

O índice S&P 500 continuou a subir depois de ter fechado em máximos históricos a sessão de quarta-feira. Junta-se a este o Nasdaq, que vai valorizando à boleia das subidas no sector tecnológico, enquanto que o Dow Jones abriu ligeiramente penalizado pelos dados pouco animadores do mercado laboral.

Wall Street arrancou a sessão desta quinta-feira em terreno misto, com o Dow Jones a ressentir-se da subida inesperada nos pedidos de subsídio de desemprego, cujos dados foram anunciados antes do arranque da sessão. Por outro lado, o S&P 500 acrescentou mais 9 pontos aos máximos registados no fecho do dia anterior.

O Dow Jones vai negociando em terreno negativo, perdendo 0,1% para os 33.412,66 pontos. O S&P 500 sobe até aos 4.088,69 pontos, crescendo 0,22%, e o Nasdaq vai somando 0,89%, mais de 100 pontos, até aos 13.810,65.

O dia ficou marcado, antes da abertura das bolsas, pelos dados pouco animadores relativos ao mercado laboral, onde a recuperação mostra agora sinais de estar a acontecer a um ritmo mais baixo do que o estimado. Os 744 mil novos pedidos de subsídio de desemprego ficaram acima das expectativas, que os analistas do Dow Jones colocavam nos 695 mil, penalizando ligeiramente cotadas cíclicas.

Por outro lado, a decisão da Reserva Federal de, perante este continuado risco de desemprego, manter a agressiva política monetária que tem implementado poderá não ser suficiente para acalmar as expectativas dos mercados, que apontam para uma reversão destas políticas mais cedo do que o anunciado, dado o esperado crescimento económico e subsequente inflação, como refere a CNBC.

Já o sector tecnológico impulsionou o forte arranque do Nasdaq, com as chamadas ‘Big 5’ (Amazon, Apple, Facebook, Alphabet e Microsoft) a negociarem maioritariamente em terreno positivo, sendo a exceção a rede social de Mark Zuckerberg. Juntam-se a estes ganhos os títulos da Tesla e da Netflix, que também vão valorizando acima de 0,5%.

Recomendadas

Novos impostos sobre capital arruínam o dia em Wall Street

Não é uma notícia confirmada, apenas um rumor: a administração Biden pode estar a preparar novos impostos sobre os grandes salários e sobre os rendimentos do capital. Wall Street tremeu de imediato.

“Mercados em Ação”. “Principal fator para a força do euro é a fraqueza do dólar”

“Penso que os dois fatores contribuem. O principal fator que contribui para a força do euro será a fraqueza do dólar, neste momento. Claro que temos também o aumento do apetite pelo risco”, salientou o analista sénior Ricardo Evangelista no programa da JE TV.

Grupo EDP dispara em bolsa em reação ao compromisso de redução de emissões em 50% dos EUA

O grupo energético português juntou-se a mais 406 empresas que pediram à administração de Joe Biden que assumisse compromissos climáticos mais “ambiciosos” no dia em que decorre a Cimeira para o Clima.
Comentários