Vacina da Pfizer e BioNTech foi financiada pelo governo alemão e não pelo norte-americano

Apesar do que afirmou o vice-presidente Mike Pence, que atribuiu o sucesso recentemente conhecido da vacina à parceria público-privada criada pela administração norte-americana para a aceleração do desenvolvimento do fármaco, o financiamento do projeto veio de Berlim, através da BioNTech, e não de Washington.

O financiamento da vacina da Pfizer, desenvolvida em conjunto com a BioNTech, veio através deste parceiro germânico, que recebeu 377 milhões de euros do governo de Angela Merkel, e não de Washington, ao contrário do que alegara o vice-presidente Mike Pence, noticia a Bloomberg.

O fármaco fez manchetes na passada segunda-feira depois dos laboratórios que o estão a desenvolver anunciarem que os ensaios clínicos de fase 3 demonstraram mais de 90% de eficácia. A notícia havia motivado elogios à administração Trump, em grande parte por membros da própria administração ou do Partido Republicano, por materializar o sucesso da Operação Warp Speed, a iniciativa presidencial que permitiu a aceleração do processo de desenvolvimento de uma vacina contra a Covid-19.

No entanto, o financiamento do projeto veio do governo alemão em setembro, como revela a Bloomberg. Os EUA terão, até agora, um acordo assinado para a compra de 100 milhões de doses por 2 mil milhões de dólares (1,7 mil milhões de euros), com a possibilidade de comprar mais 500 milhões quando o medicamento for aprovado pela Food and Drug Adminsitration (FDA).

Entretanto, algumas figuras de proa do Partido Republicano como o Senador do Texas, Ted Cruz, ou Donald Trump Jr. questionaram o momento da divulgação, mostrando-se surpreendidos por estes resultados serem conhecidos depois da eleição presidencial.

Recomendadas

TAP propõe acordo com tripulantes para vigorar até final de 2024

O acordo, segundo o qual “as medidas acordadas referentes a retribuições e outras prestações pecuniárias, retributivas ou não, produzem efeitos a 1 de janeiro de 2021”, estabelece a suspensão “das tabelas salariais e remuneratórias em vigor à data da entrada em vigor deste acordo, incluindo as constantes de normativo específico de cada função e/ou de acordos individuais”.

Turismo do Centro apresenta novas iniciativas para as Rotas das Invasões Francesas

O destaque vai para a apresentação das rotas turísticas relativas à Terceira Invasão Francesa, que teve início em julho de 1810 e terminou em abril de 1811. No território nacional, a invasão iniciou-se em Almeida e continuou para o Bussaco, onde teve lugar uma importante batalha, tendo terminado nas Linhas de Torres Vedras, de onde os franceses retiraram em perda.

Pilotos do porto de Aveiro resgatam navio da ETE

Depois de ativados os procedimentos de segurança, os serviços técnicos de pilotagem do porto de Aveiro em colaboração com os rebocadores e em articulação com a Capitania, “a operação do salvamento do navio e tripulação foi realizada com sucesso, encontrando-se o navio atracado em segurança”.
Comentários