Vieira da Silva: sustentabilidade da segurança social em risco dentro de 13 anos

O mais recente Relatório de Sustentabilidade da Segurança Social revê o prazo que era anteriormente previsto e que apontava para um desequilíbrio já em 2020.

O ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social acredita que a sustentabilidade do sistema de segurança social pode entrar em défice daqui a apenas 13 anos. Em entrevista à RTP 3, que assinalou o Dia Mundial da Segurança Social, José António Vieira da Silva falou do futuro do sistema e do Relatório de Sustentabilidade a Segurança Social.

“Todos os anos é elaborado um relatório de sustentabilidade e esse relatório aponta para que, se nada for feito, pode haver uma situação de desequilíbrio”, explicou o ministro. “Neste momento as simulações que têm sido feita apontam para que, mais próximo da década de 2030, possa existir uma situação de maior dificuldade na Segurança Social”.

O prazo significa uma extensão face à anterior data. O anterior relatório referia que a situação de desequilíbrio poderia chegar já em 2020. “Isto não é a rutura da Segurança Social”, disse Vieira da Silva, lembrando que existe uma “almofada de segurança”, que cobre mais de um ano de pensões. O ministro ressalvou ainda que o problema poderá ser resolvido através da criação de emprego.

“Se nos próximos anos conseguirmos recuperar para uma atividade produtiva e contributiva”, será dado um “impulso relevante para a melhoria da Segurança Social”, realçou, em entrevista à RTP 3. “Estamos a viver um bom momento e nada aponta para que haja uma inversão na recuperação de emprego. Mas obviamente que o país vive ainda momentos difíceis”.

Recomendadas

easyJet estabelece acordo de ‘code share’ com Cathay Pacific

Com o acordo hoje, dia 21 de janeiro, anunciado, a partir das próximas semanas, os clientes da easyJet poderão voar para Hong Kong a partir do aeroporto de Gatwick (Londres).

Governo já sabia de irregularidades na CGD? Se sim, “é grave”, aponta Rui Rio

“Eu não quero acreditar que, no quadro de todos aqueles valores que ali estão, possa ter sido tudo concedido, todo aquele crédito possa ter sido concedido de uma forma clara e limpa, que não mereça uma investigação”, disse Rui Rio aos jornalistas, na sede nacional do partido, em Lisboa.

Custa 336 euros e garante alimentação para um mês. Esta é a ‘Brexit box’

Concebido e comercializado pela empresa Emergency Food Storage, o pacote inclui 60 receitas que podem ser consumidas nos próximos 25 anos
Comentários