Marta Temido apela aos portugueses para que não deixem de trabalhar

“Gostava de sublinhar que quando a Inglaterra sofreu ataques aéreos na Segunda Guerra Mundial, os ingleses mantiveram-se a trabalhar. Mesmo durante o blitz [nome dado ao fenómeno de ‘guerra relâmpago], os ingleses mantiveram-se a trabalhar”, frisou a ministra da Saúde.

Cristina Bernardo

Marta Temido, ministra da Saúde, apelou esta tarde aos portugueses para que não deixem de trabalhar e insta a que cada um reflita nos seus comportamentos que deverão ser adotados tendo em conta a propagação do novo coronavírus.

A ministra da Saúde comparou o cenário que hoje se vive em Portugal e na Europa como se fosse “um momento de guerra”. E, tal como numa guerra, é preciso ter “disciplina”, frisou. E lembrou a resiliência dos ingleses durante a Segunda Guerra Mundial, quando a Alemanha Nazi bombardeou a Inglaterra.

“Gostava de sublinhar que quando a Inglaterra sofreu ataques aéreos na Segunda Guerra Mundial, os ingleses mantiveram-se a trabalhar. Mesmo durante o blitz [nome dado ao fenómeno de ‘guerra relâmpago], os ingleses mantiveram-se a trabalhar”, frisou a ministra da Saúde.

“Nós não podemos interromper a nossa vida social porque não podemos ficar sem pão, não podemos ficar água, não podemos ficar sem energia, não podemos ficar sem recolha de resíduos. Mas temos que adotar comportamentos apropriados ao momento que vivemos. Acho que a fatalidade com que hoje nos confrontamos e a gravidade deste momento devem fazer com que todos reflitam sobre aquilo que é esperado de cada um”, referiu.

Marta Temido vincou ainda que um dos riscos que afronta a nossa sociedade é o risco “é o risco de a nossa sociedade se desestruturar”. “Não podemos permitir que também isso aconteça”, salientou.

A ministra da Saúde deu esta tarde uma conferência de imprensa ao lado de Graça Freitas, diretora da DGS, em que foi comunicada a primeira vítima mortal em Portugal infetada com o novo coronavírus.

Tratava-se de um homem de 80 anos que estava internado há vários dias no Hospital de Santa Maria e que tinha várias comorbilidades [presença ou associação de duas ou mais doenças no mesmo paciente] associadas.

Ler mais
Relacionadas

Covid-19: morreu homem de 80 anos no hospital de Santa Maria

Morreu um homem de 80 anos infetado pelo Covid-19 que estava internado no Hospital de Santa Maria. A diretora da DGS avisou que nos próximos tempos haverá mais vítimas.
Recomendadas

Marcelo abre a porta a festivais com lugares marcados e distanciamento social. Avante fora das proibições

Festivais de verão podem-se realizar desde que “haja lugares marcados e a lotação e o distanciamento físico sejam respeitados”, segundo o Presidente da República.

Pandemia teve impacto de 680 milhões de euros nas contas públicas até abril

Do lado da receita, as prorrogações dos pagamentos de impostos até abril que foram remetidas para o segundo semestre, por um período até seis meses, chegam aos 229,4 milhões de euros para o IVA e 90,5 milhões de euros para o IRS.

Vírus já matou 347.723 pessoas e infetou mais de 5,5 milhões no mundo 

Os países com mais óbitos nas últimas 24 horas são o Brasil, com 807 novas mortes, os Estados Unidos (636) e Espanha (283).
Comentários