Apple assina acordo com Dialog Semicondutor para produção de chips

O acordo de 600 milhões de dólares (mais de 520 milhões de euros) assinado com a Dialog Semicondutor vai permitir à Apple produzir internamente mais componentes tecnológicos com patentes de chips britânicos.

REUTERS/Regis Duvignau

A gigante de tecnologia Apple anunciou esta quinta-feira a aquisição de uma parte da fabricante europeia Dialog Semicondutor, especialista na construção de processadores. O acordo de 600 milhões de dólares (mais de 520 milhões de euros) assinado com a Dialog Semicondutor vai permitir à Apple produzir internamente mais componentes tecnológicos com patentes de chips britânicos.

A operação prevê o pagamento de 300 milhões de dólares (cerca de 260 milhões de euros) imediatos à Dialog Semicondutor, devendo o resto do montante acordado ser pago nos próximos três anos com a entrega de produtos. Com este negócio, prevê-se o desenvolvimento de tecnologias ligadas à gestão de alimentação, subsistemas de áudio, carregamento e outros componentes ligados a circuitos integrados.

O acordo estabelece ainda a transferência de uma equipa de 300 engenheiros da Dialog Semicondutor para a Apple e o acesso aos escritórios da fabricante europeia no Reino Unido, Itália e Alemanha.

Em troca, a Dialog Semicondutor pretende acelerar investimentos na área de Internet of things (IoT), mobile, sistemas de automóveis, computação e armazenamento. A empresa quer ainda readquirir até 10% das suas ações.

Recomendadas

Vem aí a nova sociedade que vai controlar a “TSF”, o “DN” e o “Jornal de Notícias”

Os credores da Controlinveste, Millennium bcp e Novo Banco, acordaram o lançamento de uma nova sociedade que reúne as participações detidas pelas empresas de Joaquim Oliveira na Global Media, cuja posterior venda permitirá que os bancos presididos por Miguel Maya e António Ramalho possam recuperar parte dos 548 milhões de euros perdidos na Controlinveste

Governos ignoraram alerta do ROC sobre risco de “fraudes” na Caixa

BdP, banco e tutela não deram a devida atenção a alerta, em 2007, para o risco de“fraudes e erros” sem serem detectados devido a “limitações” no controlo interno em áreas como a concessão de crédito.

Dono da Toys “R” Us Iberia quer entrar na bolsa de Paris

A portuguesa Green Swan, do investidor Paulo Andrez, é um dos principais ‘players’ do mercado europeu de brinquedos e, em 2018, faturou uma média de um milhão de euros por dia. Se atingir os 500 milhões anuais tenciona entrar na bolsa de Paris.
Comentários