Aulas e missas continuam. Cabeleireiros fechados. Estas são as medidas do novo confinamento

António Costa anunciou esta quarta-feira as normas que entram em vigor a partir das 00h00 de sexta-feira 15 de janeiro até às 23h50 do dia 30 de janeiro.

Rafael Marchante/Reuters

As medidas do novo confinamento anunciado esta quarta-feira, 13 de janeiro, pelo primeiro-ministro António Costa, trazem algumas alterações em relação aquelas que foram aplicadas nos meses de março e abril de 2020.

  • Funcionamento das creches, escolas e universidades em regime presencial.
  • Recolher domiciliário, salvo deslocações autorizadas e o teletrabalho voltam a ser obrigatórios. Serviços públicos vão funcionar apenas por marcação prévia.
  • Consultórios, dentistas, farmácias e tribunais vão permanecer abertos, ao contrário dos cabeleireiros, barbeiros e estabelecimentos culturais que encerram.
  • Comércio e restauração voltam a encerrar, salvo estabelecimentos autorizados, ainda que a restauração possa continuar a funcionar em regime de take-away ou entrega ao domicílio.
  • Bares e cafés também fecham ao público. Supermercados vão continuar abertos, bem como as mercearias com uma limitação de cinco pessoas por 100.
  • Cerimónias religiosas vão ser permitidas de acordo com as normas da Direção Geral de Saúde.
  • Ginásios, pavilhões e outros recintos desportivos voltam a encerrar, sendo permitida o exercício individual ao ar livre. Seleções nacionais e a primeira divisão do futebol sénior não vão parar, continuando os jogos a serem disputados sem a presença de público.
Recomendadas

Variante Delta tão contagiosa quanto a varicela e mais transmissível do que gripe sazonal, diz estudo

O estudo do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças revela que a variante Delta é muito mais contagiosa, tem maior probabilidade de quebrar as proteções oferecidas pelas vacinas e pode provocar doenças mais graves do que todas as outras estirpes conhecidas do vírus

Bastonário dos Médicos diz que é um “erro” abdicar da matriz de risco

Miguel Guimarães reiterou a necessidade que existia da revisão da matriz de monitorização da situação epidemiológica, mas vincou que colocar o foco na população vacinada está sujeita a outras variáveis mais imprevisíveis, como a eficácia das vacinas ao longo do tempo ou eventuais novas variantes do vírus SARS-CoV-2.

Governo liberta a economia em três fases. Conheça as medidas de desconfinamento

António Costa anunciou esta semana três fases de libertação das atividades económicas. Este processo começa a 1 de agosto e tem em consideração a percentagem de vacinação da população portuguesa. Conheça o plano de desconfinamento definido pelo Governo.
Comentários