Bares e discotecas que retomem atividade podem manter ‘lay-off’ simplificado

O Governo esclareceu que os estabelecimentos encerrados por decisão legal ou administrativa como os bares ou discotecas que decidam retomar a atividade parcialmente funcionando como cafés ou pastelarias podem continuar a recorrer ao ‘lay-off’ simplificado.

O Governo esclareceu que os estabelecimentos encerrados por decisão legal ou administrativa como os bares ou discotecas que decidam retomar a atividade parcialmente funcionando como cafés ou pastelarias podem continuar a recorrer ao ‘lay-off’ simplificado.

“As áreas governativas da Economia e do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social informam que os estabelecimentos sujeitos a medida legislativa ou administrativa de encerramento podem continuar a aceder ao designado mecanismo de ‘lay-off’ simplificado”, começa por lembrar a nota do gabinete do ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira.

“O recurso a este apoio continua também válido para estabelecimentos que, continuando encerrados por medida legislativa ou administrativa, possam, com base em outras atividades económicas, retomar parcialmente a sua atividade de acordo e em conformidade com a Resolução do Conselho de Ministros que declara a situação de contingência e alerta, no âmbito da pandemia da doença covid-19”, acrescenta o gabinete.

Assim, continua o ministério, “bares, outros estabelecimentos de bebidas sem espetáculo e estabelecimentos de bebidas com espaço de dança que entendam retomar a sua atividade enquanto cafés ou pastelarias, cumprindo as regras vigentes em cada território, poderão continuar a usufruir do mecanismo de ‘lay-off’ simplificado”.

A resolução do Conselho de Ministros aprovada na quinta-feira “renovou a declaração da situação de alerta e contingência, consoante o território em causa, deixando assim de vigorar a situação de calamidade em 19 freguesias da Área Metropolitana de Lisboa”, lembra a mesma fonte.

A resolução determina que permanecem encerrados “os bares, outros estabelecimentos de bebidas sem espetáculo e os estabelecimentos de bebidas com espaço de dança”.

Porém, continua o gabinete de Siza Vieira, é dada a esses estabelecimentos a possibilidade de “funcionarem como cafés ou pastelarias, sem necessidade de alteração da respetiva classificação de atividade económica, desde que cumpridas todas as regras em vigor, designadamente as de higiene, saúde e segurança, e permaneçam inutilizados os espaços destinados a dança ou similares, ainda que possam ser ocupados com mesas destinadas aos clientes”.

O ‘lay-off’ simplificado, medida para combater a crise causada pela pandemia de covid-19, termina hoje para as restantes empresas, depois de ter sido prorrogado pelo Governo por um mês.

Ler mais
Recomendadas

António Costa admite que “não sairemos desta pandemia sem feridas nem cicatrizes”

Primeiro-ministro teve “esforço titânico do Governo” para injetar liquidez na economia elogiado pela líder parlamentar socialista Ana Catarina Mendes.

“Não faz sentido que o confinamento seja mais light agora do que foi em março”, diz CDS-PP

O líder parlamentar do CDS-PP, Telmo Correia, pede “coragem política” ao Governo para ir mais longe nas medidas restritivas e acusa o Executivo socialista de estar a seguir um “princípio de experimentação” em vez do “princípio de precaução”.

PAN aponta quatro “medidas inteligentes e coerentes” para reduzir contágio de Covid-19

Limitação da lotação e reforço da oferta dos transportes públicos, obrigatoriedade do teletrabalho, restrições nos horários do comércio e aulas em casa a partir do terceiro ciclo de escolaridade foram apontados por André Silva como formas de reduzir a progressão da Covid-19.
Comentários