Brexit: deputados britânicos rejeitam saída sem acordo. Diferença foi de quatro votos

O parlamento britânico rejeitou hoje uma saída do Reino Unido da União Europeia sem um acordo, em qualquer circunstância, com a estreita margem de apenas quatro votos, com 312 a favor da proposta e 308 contra.

A Câmara dos Comuns voltou esta quarta-feira a pronunciar-se sobre o Brexit e, depois de ter recusado o Acordo de Saída, os deputados britânicos também não concordaram com uma saída da União Europeia sem acordo. A margem foi estreita: 312 votos a favor da proposta e 308 contra.

A moção do governo em debate e votação hoje convidava os deputados a “recusar aprovar a saída da União Europeia sem um Acordo de Saída”, mas recordando que a saída sem acordo continua a ser a opção por defeito porque a data está na legislação britânica.

Assim, e com a opção de sair sem acordo rejeitada pelos deputados britânicos, na quinta-feira a Câmara dos Comuns deverá votar um pedido à UE de prorrogação do processo do ‘Brexit’ para depois de 29 de março.

O texto foi apresentado após o parlamento britânico ter chumbado na terça-feira, pela segunda vez depois de uma votação em janeiro, o Acordo de Saída do Reino Unido da União Europeia (UE), desta vez com 391 votos contra e 242 votos a favor, uma margem de 149 votos, incluindo 75 de deputados conservadores.

Relacionadas

Brexit vai prejudicar Portugal. Custo pode chegar a 420 milhões de euros, estima consultora

“O custo provocado pelo ‘Brexit’ nas relações comerciais entre Portugal e o Reino Unido pode chegar aos 420 milhões de euros”, indica a consultora Oliver Wyman no relatório ‘Impacto do Brexit: Análise Ibérica’, divulgado esta quarta-feira.

Brexit em velocidade cruzeiro para o desconhecido

A derrota de Theresa May no Parlamento, mais uma, levou a um rol de reações no mesmo sentido: acabou-se. As teorias da conspiração têm agora caminho livre – numa altura em que ninguém sabe ao certo o que se vai passar a seguir.

Brexit: Acordo de Saída já era. Segue-se a votação sobre o ‘no deal’

Westminster voltará a ser chamado já esta quarta-feira para votar sobre a possibilidade de uma saída sem acordo, um cenário conhecido como ‘no deal’ Brexit.
Recomendadas

PS: Pedro Marques poupa palavras no metro de Lisboa mas reforça convicção na vitória

No nono dia de campanha do PS, Pedro Marques elegeu os passes sociais para apelar ao voto nas eleições europeias. Entre o desinteresse e a incerteza de quem passava, o ex-ministro promoveu a medida de reduzir o custo dos passes sociais e ouviu queixas. Mas não se alongou muito e optou por fazer a viagem quase sem falar com os passageiros.

Paulo Sande: “Vamos eleger dois eurodeputados do Aliança e será bom para o país ter uma nova atitude na Europa”

O cabeça-de-lista do novo partido Aliança expressa a sua confiança na obtenção de um bom resultado nas eleições europeias, sublinha a importância de “encontrar um equilíbrio” entre o federalismo e o soberanismo, propõe “deputados-sombra” para assegurar um maior escrutínio e quer que todas as normas europeias sejam avaliadas do ponto de vista do impacto ambiental.

Líder Trabalhista diz que não apoiará nova proposta de acordo de May

Theresa May apresentou hoje uma nova proposta para um acordo do ‘Brexit’, que levará ao Parlamento no próximo dia 03 de junho, mas precisa de uma maioria de deputados Conservadores e Trabalhistas para atingir o objetivo. Corbyn recusa “apoiar uma versão reaproveitada do antigo acordo”.
Comentários