Estados Unidos podem decidir taxar petróleo saudita

Numa medida que até agora estava reservada para os ‘inimigos económicos’ dos Estados Unidos, Trump pode colocar entraves à entrada de petróleo saudita no país. É mais uma medida para manter a economia caseira acima da linha de sobrevivência.

Numa altura em que Donald Trump está a começar a admitir que o prolongamento do regime de contingência face à Covid-19 é a única forma de combater a pandemia – e que a economia norte-americana irá sofrer um impacto mais violento que o inicialmente previsto, o presidente começa a tentar formas de contornar as dificuldades que até há poucos dias eram impensáveis.

Está nreste grupo inesperado a possibilidade de os Estados Unidos aumentarem as taxas aduaneiras sobre as importações de petróleo da Arábia Saudita. O mais importante aliado dos Estados Unidos no Médio Oriente – e também um dos mais importantes clientes do poderoso setor do armamento norte-americano – pode assim ser dos primeiros a sentir na economia esta espécie de ‘traição’ que até agora Trump reservava apenas para os seus ‘inimigos’: o a guerra comercial.

Segundo o Wall Street Journal, uma reunião entre Trump e alguns dos mais destacados CEO do setor petrolífero norte-americano – entre eles representantes da Exxon Mobil, Chevron e Occidental Petroleum Corp – estarão esta sexta-feira na Casa Branca para debaterem possíveis auxílios à indústria nacional. Ora, uma das formas de auxílio será tarifar importações de petróleo da Arábia Saudita.

Os Estados Unidos, que são o maior produtor de petróleo do mundo e também um dos maiores consumidores, podem assim tentar mais uma medida que possa auxiliar ao reaquecimento da economia interna.

Para isso mesmo apontam declarações do presidente do Federal Reserve Bank de Boston, Eric Rosengren, que afirmou que o surto de coronavírus e a consequente “acalmia” da frente económica poderiam levar a taxa de desemprego a “aumentar drasticamente”.

“Estamos a testemunhar os fortes efeitos da pandemia na saúde pública. Ao mesmo tempo, a resposta necessária – o distanciamento social – acalmou a economia, interrompendo inúmeras vidas e meios de subsistência”, disse Rosengren.

O Federal Reserve está a agir rapidamente para limitar os efeitos do vírus na economia e nos mercados financeiros, reduzindo a taxa a 0% e implementando várias facilidades de obtenção de liquidez destinadas a manter o fluxo de crédito nos mercados.

Por exemplo, explicou, a instituição que dirige abriu empresta dinheiro aos bancos para que estes possam comprar ativos de fundos do mercado monetário. Outros programas criado no mesmo sentido estão a ser implementados: o Federal Reserve de Nova Iorque está a criar um instrumento que facilitará a emissão de dívida pelas empresas.

Ler mais
Recomendadas

ASPPM acusa António Costa de se demitir das responsabilidades quando delegou “problema das praias”

A Associação Sócio-Profissional da Polícia Marítima (ASPPM) considerou hoje que o primeiro-ministro, António Costa, “demitiu-se das suas responsabilidades” ao “endossar às capitanias e às autarquias a resolução do problema” de concentração de pessoas nas praias, na sequência da pandemia.

Jovens não respeitam regras e estão a propagar Covid-19 em Setúbal

O coordenador da Proteção Civil Municipal de Setúbal, José Luís Bucho, manifestou-se hoje preocupado com os excessos cometidos pela população jovem no concelho, que acusa de desrespeitar as regras e propagar a doença Covid-19.

SNS já está a ser reforçado para o inverno “de acordo com necessidades”

O secretário de Estado da Saúde afirmou hoje que já está em curso a preparação do plano para o inverno, com o reforço de recursos humanos, da capacidade instalada dos hospitais, da vacinação e da rede de testagem.
Comentários