Irão ultrapassa as 25 mil mortes provocadas pelo vírus

Desde quarta-feira, os contágios registados no Irão foram 3.521, um dos maiores números desde o início da pandemia, em fevereiro, no país que atravessa nova vaga da doença.

O Irão ultrapassou hoje as 25.000 mortes provocadas pela covid-19, depois de um aumento de casos durante o último mês, que faz com que as autoridades ponderem nova imposição de restrições.

A porta-voz do Ministério da Saúde, Sima Lari, informou que nas últimas 24 horas morreram 175 pessoas, o que elevou o número total de óbitos no Irão devido à pandemia para 25.015.

Desde quarta-feira, os contágios registados foram 3.521, um dos maiores números desde o início da pandemia, em fevereiro, no país que atravessa nova vaga da doença.

Desde então, já foram infetadas 436.319 pessoas, das quais 367.729 recuperaram e 3.957 estão hospitalizadas, segundo os dados do Ministério da Saúde.

O Presidente iraniano, Hasan Rohaní, culpou esse aumento de casos nas viagens feitas durante o verão, deslocações desnecessárias nas cidades, multidões nos transportes públicos e o não cumprimento dos protocolos de saúde por parte dos cidadãos.

Por esta razão, apelou à imposição de sanções “àqueles que continuam a iludir os protocolos de saúde e que colocam em risco a sua saúde e da sociedade”.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 971.677 mortos e mais de 31,6 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Ler mais
Relacionadas

Portugal regista mais 691 casos e três mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas

As autoridades sanitárias contabilizaram mais 386 altas nas últimas 24 horas, elevando para 46.676 o número total de pessoas livres do vírus.

França impõe novas medidas devido ao agravamento da situação sanitária

Há atualmente 69 departamentos em alerta vermelho em França, com diferentes níveis de gravidade consoante a circulação do vírus. O agravamento do número de infetados levou à imposição de medidas mais rígidas.
Recomendadas

Líderes europeus querem evitar a todo o custo novo encerramento de fronteiras, sublinha António Costa

No final do Conselho de Ministros extraordinário desta quinta-feira, António Costa explicou os compromissos e estratégias acertadas entre os líderes dos 27 estados-membros do bloco europeu, sublinhando que a responsabilidade de conter a pandemia e evitar o colapso dos sistemas de saúde é, agora, de cada um “individualmente”.

França vai gastar 15 mil milhões de euros com medidas de contenção para conter novo coronavírus

“Vamos reforçar todos os dispositivos de ajuda”, afirmou o governante, especificando que seis mil milhões respeitam a fundos de solidariedade, sete mil milhões para desemprego parcial (o designado ‘lay-off’), mais de mil milhões para exonerações de contribuições sociais e outro tanto para assumir custos de empresas com alugueres.

“Não desistimos de nenhuma batalha antes de acabar”. PCP apresenta propostas de alteração ao OE 2021

Entre as medidas apresentadas, no campo da justiça fiscal, João Oliveira anunciou que os comunistas pretendem a “atualização dos escalões IRS, o aumento de mais um escalão neste imposto aumentando a progressividade do mesmo, bem como o aumento dos chamados valores do mínimo de existência e dedução especifica, permitindo cumprir o objetivo de redução da tributação dos rendimentos mais baixos, intermédios”.
Comentários