Covid-19. Universidade do Minho encerra campus de Gualtar em Braga

Aos estudantes que aceitaram o isolamento profilático na universidade, a instituição sublinha que garante todas as condições “em termos de alimentação, cuidados de saúde e higiene”, mantendo-se uma elevada contenção para os mesmos. 

Universidade Do Minho

Um estudante da Universidade do Minho testou positivo para o novo coronavírus, e a instituição de ensino decidiu encerrar o campus de Gualtar, em Braga, por tempo indeterminado. A instituição garante que está a cumprir todos os procedimentos das autoridades de saúde.

O reitor da Universidade do Minho, Rui Vieira de Castro, apontou que foi recomendado a todos os estudantes “o abandono das residências e a submissão voluntária a um período de quarentena profilática”. Assim, esta medida específica incide em dois blocos: Santa Tecla e Lloyd Braga.

“Aos estudantes foi recomendado esse período de quarentena porque estavam a viver na residência estudantes que tinham tido contactos com o caso que está confirmado como positivo”, afirmou Rui Vieira de Castro. Aos que aceitaram o isolamento profilático na universidade, a instituição sublinha que garante todas as condições “em termos de alimentação, cuidados de saúde e higiene”, mantendo-se uma elevada contenção para esses estudantes.

Sustentando que estão a seguir as indicações providenciadas pela Direção-Geral da Saúde, o reitor da Universidade do Minho disse aos jornalistas que aconselharam alguns estudantes a ir para casa mas que estes deviam evitar contacto social, pois não sabem se estão infetados.

“Cerca de 90 estudantes decidiram ficar na residência, sujeitando-se a este período de quarentena profilático”, indicou Rui Vieira de Castro. Até à data, a suspensão do campus de Gualtar mantém-se e “não há razões para alterar as decisões que foram tomadas”, mantendo-se assim por tempo indeterminado.

Os complexos pedagógicos encerramos “vão ser objeto de uma higienização nos próximos dias, o que implicou que algumas unidades de serviço vissem a sua atividade interrompida”, terminando também com todos os procedimentos de atendimento presencial a todos os utentes da universidade.

Recomendadas

Farmácias fazem “tudo o que é humanamente possível” face à procura de testes

Segundo disse Ema Paulino à Lusa, na terça-feira as farmácias portuguesas realizaram 47.500 testes de antigénio, quando na sexta-feira anterior foram feitos cerca de 30.500 despistes do coronavírus.

Já foram multados 152 passageiros e 10 companhias nas fronteiras aéreas por falta de teste

Os dados do MAI avançam também que pelo menos 10 companhias aéreas foram multadas por terem transportado passageiros sem teste negativo à covid-19 ou certificado de recuperação, condições obrigatórias desde quarta-feira para entrar em Portugal continental através das fronteiras aéreas.

Câmara de Lisboa diz que ministra da Saúde tem de “pôr ordem” na vacinação

“A ministra tem de pôr a casa em ordem, tem de pôr os serviços de saúde em ordem e a funcionarem bem, coisa que não está a acontecer”, disse Ângelo Pereira, à margem de uma iniciativa a propósito do Dia Internacional de Pessoa com Deficiência.
Comentários