DGS desmente números de casos por Covid-19 que circulam nas redes sociais

“Os números que estão a circular nas redes sociais relativamente aos casos de Covid-19 em Portugal são falsos”, alerta o órgão liderado por Graça Freitas.

Flavio Lo Scalzo/Reuters

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recorreu à rede social Twitter, esta quinta-feira, para desmentir os números que circulam nas redes sociais relativamente aos novos casos de infeção por Covid-19 de hoje.

“Os números que estão a circular nas redes sociais relativamente aos casos de Covid-19 em Portugal são falsos. A informação oficial é a que consta no boletim da DGS, que será divulgado ao início da tarde, como habitualmente, após um processo aprofundado de verificação”, esclareceu a Direção-Geral da Saúde numa publicação, esta manhã.

O alerta chega depois de, nesta quarta-feira, vários utilizadores nas redes sociais terem partilhado que as mortes no boletim epidemiológico da DGS de ontem iriam atingir as 290 mortes e sugerirem que hoje o número de casos confirmados iriam atingir um novo recorde.

De acordo com o documento enviado durante a tarde, o órgão liderado por Graça Freitas deu conta de 219 óbitos por Covid-19 e mais 14.647 casos confirmados. Tratou-se de um novo máximo registado desde o início da pandemia. Os dados também deram conta de um agravamento da situação em enfermaria e internamento em cuidados intensivos (UCI). Até ontem, existiam 5.493 internados (mais 202), dos quais 681 estão em UCI (mais 11).

Quanto ao número de casos recuperados, a DGS reportou mais 6.493 pessoas livres do vírus, totalizando 428.364 recuperações.

Ler mais
Relacionadas

Portugal regista novo recorde de casos e vítimas mortais por Covid-19

As autoridades sanitárias contabilizaram mais 6.493 pessoas recuperadas nas últimas 24 horas, elevando para 428.364 o número total de pessoas livres do vírus.

“Nunca assisti a tantas mortes”. Médico e deputado do PSD relata situação de desespero no Hospital de Cascais

Ricardo Baptista Leite realçou mesmo que “é demolidor ter que decidir que doentes vão receber ventilação e quem não vai, a determinar no fundo quem vive e quem morre”, enfatizando a falta de meios naquela unidade.
Recomendadas

Rede internacional de cabeleireiros critica promoção de “prestação de serviços de beleza ao domicílio”

A Jean Louis David, impedida de trabalhar devido às proibições decretadas pelo Governo durante o confinamento geral, “não considera aceitável que esta situação possa existir”, referindo-se à publicação do estudo que aborda o aumento da procura por estes serviços fornecidos em domiciliário.

Açores com 11 casos positivos e 11 recuperados de covid-19

Os Açores regista 66 casos ativos de coronavírus.

Vacina da Johnson & Johnson deve chegar aos norte-americanos no máximo em 48 horas

A Johnson & Johnson comprometeu-se em entregar quatro milhões de doses esta semana e 100 milhões de doses até junho, admitiu o CEO, Alex Gorsky.
Comentários