Estado vai encaixar mais 2.839 milhões de euros em impostos

Em 2021, o Estado vai encaixar mais 2.839 milhões de euros em impostos, o que corresponde a um aumento da receita fiscal de 7% que contrasta com a queda prevista para este ano, segundo a proposta de lei do OE2021 entregue nesta segunda-feira, 12 de outubro, no Parlamento.

No próximo ano, o governo estima arrecadar 43.850 milhões de euros em impostos, mais 2.839 milhões de euros (mais 7%) face à estimativa de receita fiscal para este ano. IVA e IRC são os impostos que mais contribuem para o aumento da receita com um aumento de 1.228 milhões e 1.167 milhões de euros, respetivamente.

“Para 2021 é esperada uma recuperação da receita fiscal, que ainda assim se prevê inferior àquela registada em 2019 em 2.172 milhões de euros. Na comparação com 2020, os valores de 2021 preveem, nomeadamente, uma evolução positiva na receita de IRC, em 1167 milhões de euros, e IVA, em 1.228 milhões de euros”, avança o Executivo na proposta do OE2021.

No próximo ano, o Governo prevê uma receita de IVA de 16.999 milhões de euros, contra 15,771 milhões de euros em 2020. Já o IRC contribuirá para os cofres do estado com 5.134 milhões de euros, contra a receita deste imposto de 3.967 milhões de euros prevista para este ano.

Segundo o documento, a evolução da receita fiscal em 2020 ficou marcada pelos efeitos da pandemia provocada pela Covid-19 na economia portuguesa, estimando-se uma queda da receita de 5.011 milhões de euros face a 2019 (menos 11%). Destacam-se nesta evolução os desempenhos negativos da receita de IRC (menos 2.350 milhões de euros) e IVA (menos 2.091 milhões de euros), parcialmente compensados pela evolução positiva do IRS (mais 39 milhões de euros).

 

Recomendadas

“Sobreviver a Pão e Água”. “Centenas” de membros do movimento dispostos a regressar à greve de fome se Governo não aprovar medidas exigidas

Movimento diz que Governo disse que iria apresentar em breve várias das medidas por si exigidas. Se até dia 11 de dezembro, não apresentar as restantes medidas ameaçam que com o regresso à greve de fome em frente ao Parlamento e por todo o país, com “mais de uma centena de pessoas”.

Natal e passagem de ano: estas são as 14 regras que vão vigorar

Restaurantes abertos até à uma da manhã nas noites de natal e de passagem de ano, e natal sem interdição de circulação entre concelhos são algumas da medidas que vão vigorar durante a época festiva. Governo avalia medidas a 18 de dezembro à luz da evolução da pandemia da Covid-19.

Costa adia anúncio de medidas de apoio para as rendas do comércio e da restauração

A 21 de novembro, o primeiro-ministro anunciou que as medidas de apoio para as rendas de lojas e restaurantes seria anunciada nos dias seguintes. Passados 15 dias, o Governo ainda não anunciou os apoios e adiou para a próxima semana.
Comentários