“Filas impressionantes”. Ayamonte já beneficia com a greve dos motoristas em Portugal

A paralisação, que tem início esta segunda-feira, deve levar um grande número de clientes portugueses aos postos de abastecimento espanhóis. Essa afluência pode beneficiar ainda o comércio local e, inclusivamente, o setor da restauração.

Os portugueses que habitualmente cruzam a fronteira para atestar o carro já o estão a fazer com maior assiduidade nos postos de abastecimento de Ayamonte, na fronteira com Portugal, conta o Diario de Huelva.

“Temos aqui filas impressionantes”, dizia ao diário regional espanhol um dos trabalhadores do posto da BP que temia “não dar conta” de tantos clientes que têm cruzado a fronteira para abastecer o carro.

Fontes do setor contaram ao ABC de Sevilla que, apesar de ser habitual o recurso dos portugueses às bombas espanholas ao fim-de-semana, desta vez, e nas últimas horas, tem-se registado a afluência de centenas de clientes que chegam a Espanha através da ponte sobre o Guadiana em Ayamonte ou pela estrada para Rosal de la Frontera.

De resto, os postos de abastecimento de Ayamonte esperam que a procura de clientes portugueses seja superior ao que aconteceu no passado mês de abril, momento da última paralisação dos motoristas de matérias perigosas.

De acordo com o Diario de Huelva, espera-se que a greve que tem início esta segunda-feira não só traga clientes aos postos de abastecimento como essa afluência seja ainda benéfica para o comércio local e, inclusivamente, para o setor da restauração.

 

Serviços mínimos entre 50% a 100%

O Governo decretou na quarta-feira serviços mínimos entre 50% e 100% para a greve dos motoristas de mercadorias que se inicia no dia 12 por tempo indeterminado.

Os serviços mínimos serão de 100% para abastecimento destinado à REPA – Rede de Emergência de Postos de Abastecimento, portos, aeroportos e aeródromos que sirvam de base a serviços prioritários.

O Governo decretou ainda serviços mínimos de 100% para abastecimento de combustíveis para instalações militares, serviços de proteção civil, bombeiros e forças de segurança.

Também para transporte e abastecimento de combustíveis, matérias perigosas, medicamentos e todos os bens essenciais destinados ao funcionamento dos hospitais e centros de saúde, entre outras unidades de saúde, o executivo decretou serviços mínimos de 100%.

O Governo fixou os serviços mínimos para a greve depois das propostas dos sindicatos e da associação patronal Antram terem divergido entre os 25% e os 70%, bem como sobre se incluíam trabalho suplementar e operações de cargas e descargas.

Também na quarta-feira, o Governo decretou, preventivamente, estado de emergência energética, no âmbito do pré-aviso de greve, permitindo a constituição da REPA, com 54 postos prioritários e 320 postos de acesso público.

A greve foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP) e pelo SIMM, que acusam a Antram de não querer cumprir o acordo assinado em maio, que prevê uma progressão salarial.

Ler mais
Relacionadas

Gasóleo e gasolina vão descer 4 cêntimos em plena greve dos motoristas

Após cinco semanas consecutivas em subida, os combustíveis descem de forma abrupta, na semana em que se dá início à greve dos motoristas de matérias perigosas.

Antram acusa sindicatos de motoristas de falhar prazo para designar trabalhadores para mínimos

A Associação de Transportadores de Mercadorias acusa os sindicatos de não cumprirem o prazo de envio dos trabalhadores para as escalas de serviços mínimos.
greve_motoristas_matérias_perigosas_4

Críticas à ANTRAM e ao Governo. Como foi o plenário do Sindicato Independente dos Motoristas

O Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias (SIMM) reuniu-se este sábado de manhã, no Estádio Municipal de Leiria, para discutir a greve anunciada para segunda-feira, dia 12. Saiba o que ficou decidido e o que os motoristas esperam da parte da associação patronal Antram.
Recomendadas

OE2020: Docentes criticam subfinancioamento do ensino superior com verbas equivalentes a 2002

Os professores contestaram esta quarta-feira a opinião do ministro segundo a qual o Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) é o melhor dos últimos anos para o ensino superior, lembrando que a dotação prevista é semelhante à de 2002.

Centeno encontra o ‘Wally’ de Rio: É um “ajustamento feito em todos os países”

Rui Rio tem insistido na discrepância de 590 milhões de euros em dois quadros do Orçamento do Estado para 2020. Mário Centeno prometeu não voltar a falar da taxa de execução da Câmara do Porto durante a gestão do social-democrata e explicou as reservas e dotações orçamentais.

OE2020: MAI anuncia recrutamento de 10 mil efetivos para forças de segurança até 2023

O ministro da Administração Interna anunciou hoje no parlamento o recrutamento de cerca de 10 mil elementos para as forças e serviços de segurança até 2023 no âmbito do plano plurianual da admissão.
Comentários