França regista recorde de novos casos de Covid-19

Com 16 mil infetados em 24 horas, os números da pandemia em França continuam a agravar-se todos os dias, fazendo temer novas medidas de controlo sanitário.

Paris, França | Bloomberg

Com 16.096 casos positivos registados em apenas 24 horas, anunciaram esta quinta-feira as autoridades francesas, o país bate o recorde de pessoas infetadas num só dia com a Covid-19 desde o início da pandemia e o número total de casos confirmados através de teste em França é de 497.237.

Ainda nas últimas 24 horas, houve 52 mortes devido ao novo coronavírus, elevando o número total desde o início da pandemia a 31.511. A taxa de positividade dos testes continua a subir sendo agora de 6,5% face a 6,2% na quarta-feira.

Os hospitais da região parisiense anunciaram esta quinta-feira que vão começar a adiar novamente as operações não urgentes devido ao aumento do número de casos na capital.

Ao mesmo tempo, a região de Marselha vai tentar travar a imposição governamental do fecho dos restaurantes nos próximos 15 dias anunciada na quarta-feira pelo ministro da Saúde.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 978.448 mortos e quase 32 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Recomendadas

Venezuela testou com sucesso molécula que anula o novo coronavírus

O Presidente da Venezuela explicou ainda que se trata da molécula DR10, que foi totalmente isolada e “não tem nenhum tipo de toxicidade que afete moléculas saudáveis” ou cause efeitos colaterais.

Estado australiano foco da pandemia levanta confinamento a partir de terça-feira

O confinamento foi decretado em julho, quando o número de novos casos era de cerca de 190 por dia, número que subiu para 700 em agosto.

OE2021: Rio diz que nem com alterações na especialidade orçamento fica em condições

Assim, de acordo com Rio, o PSD vai votar contra na generalidade “na convicção de que, por mais alterações que se possam fazer na especialidade”, o documento “não vai ficar em condições de fazer aquilo” que os sociais-democratas consideram que “deve ser feito”.
Comentários