Governo anuncia reforço da vigilância epidemiológica em Lisboa

Perante a evolução do novo coronavírus na Área Metropolitana de Lisboa, o Governo vai tomar novas medidas de contingência especificas para a capital.

Twitter António Costa

Devido ao aumento de casos registados na área de Lisboa e Vale do Tejo, o Governo decidiu avançar com um novo plano de contingência que visa diminuir os riscos de contaminação na capital.

“A evolução do crescimento da pandemia está estabilizada e afastada do risco de crescimento exponencial” começou por afirmar o primeiro-ministro. “Houve um pequeno aumento do risco de transmissão e por isso vamos reforçar a vigilância epidemiológica na Área Metropolitana de Lisboa”, continuou.

Infografia | Mais de 90% dos novos casos de Covid-19 foram confirmados em Lisboa e Vale do Tejo

O plano passa por reforçar as medidas de contigência adotadas nos espaços de construção civil e trabalho temporário. Costa diz que nestas áreas está a ser “feito um esforço de testagem” e que será feito o que foi feito nos lares, monitorizar estes trabalhos que é onde se têm registado focos;

Vai ser adotado novos planos de realojamento de emergência, à semelhança do que tem acontecido em hostels onde foram detadados novos surtos da doença, para permitir separação de pessoas infetadas e não infetadas”;

Limitar a circulação de veículos de transporte privado de passageiros, nomeadamente os TVDE, sendo que a lotação máxima destes será de duas a três pessoas e o uso de máscara dentro dos veículos será obrigatória.

Adiar levantamento de restrições que envolvem grandes aglomerações: mantém-se a regra de interdição de ajuntamentos de mais de 10 pessoas, que no resto do país está em 20; é restringida a dois terços a lotação máxima dos veículos privados de transporte de passageiros sendo obrigatória utilização de máscara (carrinhas de transporte de construção civil);

Quanto à reabertura dos centros comerciais, a decisão será reavaliada dia 4 de junho. “Vamos fazer esforço muito grande para que esforço de despistagem e testagem associados à construção civil e trabalho temporário possam ter resultados e possamos identificar melhor as cadeias de transmissão”, exlica Costa

Ler mais
Relacionadas

Governo avança com nova fase de desconfinamento mas centros comerciais em Lisboa só reabrem a 4 de junho

A terceira fase de desconfinamento foi esta sexta-feira o mote da reunião de Conselho de Ministros. A partir de segunda-feira, também reabrem cinemas, teatros, salas de espectáculo e auditórios. Lojas de cidadão e centros comerciais só reabrem a 4 de junho.

Teletrabalho deixa de ser obrigatório na segunda-feira

O trabalhador tem direito a manter-se em regime de ‘home office’, independentemente do acordo com a empresa, se pertencer a um grupo de risco ou estiver a acompanhar filhos menores de 12 anos ou com deficiência.
Recomendadas

OE2021: Federação sindical pediu alterações ao BE e ao PS

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP) pediu hoje aos deputados do Bloco de Esquerda e do Partido Socialista que proponham alterações ao Orçamento do Estado (OE) para 2021 que respondam às reivindicações dos funcionários públicos.

América Latina é a região mais afetada por notícias falsas sobre covid

o Observatório de Infodemia Covid-19 da Fundação Bruno Kessler refere que, dos 83 países em estudo, os 15, onde a fiabilidade das informações sobre a doença difundidos através dos meios digitais é a mais baixa, encontram-se na América Latina, onde 59% do que se publica é considerado “fiável”.

Covid-19: Bastonária dos farmacêuticos diz que Saúde falhou planeamento do inverno

A bastonária dos farmacêuticos defendeu hoje que o país, nomeadamente a área da Saúde, falhou a preparação do período de outono-inverno e criticou a “comunicação bastante irregular” que tem sido feita da pandemia, que não se combate com “normativos”.
Comentários