Governo pondera alargar requisição civil entre hoje e amanhã

Matos Fernandes assegurou ainda que nas últimas 24 horas se verificou apenas mais um caso “inequívoco de incumprimento” da requisição civil decretada, relativo a seis camionistas que não comparecerem no local de trabalho em Loulé, para abastecer o aeroporto de Faro.

O Governo está a ponderar alargar o âmbito da requisição civil decretada na passada segunda-feira, dia 12 de agosto, na sequência da greve convocada por vários sindicatos de camionistas.

No mais recente ponto da situação ao abastecimento de combustível ao país, efetuado há poucos minutos, o ministro do Ambiente e da Transição Energética admitiu essa hipótese.

“Se chegarmos ao final do dia, ou até amanhã de manhã, e verificarmos que não forma cumpridos os serviços mínimos, claro que iremos alargar o âmbito da requisição civil”, garantiu João Pedro Matos Fernandes.

De acordo com este governante, o ponto mais crítico neste momento é a CLC – Companhia Logística de Combustíveis, em Aveiras de Cima.

Matos Fernandes revelou que hoje que já se efetuaram hoje 128 saídas de camiões de combustíveis a partir de Aveiras de Cima, das quais 36 para o aeroporto de Lisboa – estando programadas 119 para todo o dia – e 92 de gasóleo e gasolina para a REPA – Rede Estratégica de Postos de Abastecimento.

Estes valores significam, de acrodo com o ministro do Ambiente, que a distribuição de combustível a partir de Aveiras de cima está 30% abaixo dos serviços mínimos decretados. E é esta a maior preocupação do Governo neste momento.

O ministro do Ambiente exemplificou que os outros grandes pontos de distribuição de combustível têm números mais satisfatórios. a rede da Prio, em Aveiro/Ílhavo está a fazer uma distribuição a 100%, portanto, sem greve ou requisição civil; a partir de Leça da Palmeira saíram hoje 83 cargas, o que representa uma produtividade de 60%, acima dos serviços mínimos; e do porto de Sines saíram 33 camiões (70% de produtividade.

No Algarve, que está sentir um maior impacto da greve dos camionistas, Matos Fernandes sublinhou que houve dez equipas das Forças Armadas durante a noite passada para fazer o abastecimento de combustível à região.

Com resultados práticos, uma vez que neste momento, o Algarve subiu o nível de ‘stock’ de combustíveis em 13 pontos percentuais face ao período homólogo de ontem: de 24% para 37% no gasóleo e de 22% para 35% na gasolina.

Matos Fernandes assegurou ainda que nas últimas 24 horas se verificou apenas mais um caso “inequívoco de incumprimento” da requisição civil decretada, relativo a seis camionistas que não comparecerem no local de trabalho em Loulé, para abastecer o aeroporto de Faro.

Um caso que já está nas mãos da GNR e que se junta aos 14 já ontem relatados pelo Ministro do Ambiente e da Transição Energética.

Ler mais
Relacionadas

Pardal Henriques diz que requisição civil não vai ser respeitada. Governo garante que serviços mínimos estão a ser cumpridos

O porta-voz do sindicato dos motoristas avisa que os motoristas não vão recuar e desconvocar a greve que decorrerá por tempo indeterminado. Aos jornalistas, Pardal Henriques conta que os serviços mínimos não vão ser respeitados.

GNR e PSP conduziram 28 camiões de combustível nos dois primeiros dias da greve dos motoristas

A GNR e a PSP asseguraram, na segunda e terça-feira, o transporte de combustível em 28 camiões-cisterna no âmbito da situação de alerta declarada pelo Governo devido à greve dos motoristas de matérias perigosas, foi esta quarta-feira anunciado.
combustíveis, motoristas

Camiões sob escolta em Matosinhos. Sindicato assegura que o “boicote” aos serviços mínimos é para continuar

“O boicote não terminou”, assegura o presidente do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), em declarações aos jornalistas no local.
Recomendadas

Oficial: Governo decreta fim da crise energética a partir da meia-noite

António Costa fala numa “vitória da democracia e da legalidade democrática” e que Portugal soube mostrar uma “grande maturidade”. Primeiro-ministro revela que a reposição da total normalidade dos combustíveis demorará dois a três dias.

Motoristas de matérias perigosas desconvocam greve ao sétimo dia mas deixam ameaças 

O sindicato admite nova paralisação a horas extraordinárias, fins de semana e feriados caso a associação patronal se mostrar “intransigente” na reunião de amanhã.

Brexit sem acordo levará a escassez de combustível, comida e fármacos

O documento divulgado pelo “Sunday Times” estima também que até 85% dos camiões que atravessam o Canal da Mancha “podem não estar preparados” para as formalidades das alfândegas francesas, o que provocaria longas filas que podem prolongar-se por dias.
Comentários