Governo português envia equipas médicas a Cabo Verde para reforçar capacidade de resposta à situação pandémica

Estas equipas são constituídas por um grupo  profissionais de saúde do INEM, das Forças Armadas e do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, integrando dois médicos com experiência em Cuidados Intensivos e quatro enfermeiros com experiência em Urgência/Emergência e Cuidados Intensivos.

Hospital de Santa Maria | Mário Cruz/Lusa

O Governo português anunciou este domingo que procedeu ao envio de duas equipas médicas a Cabo Verde no sentido de reforçar a capacidade de resposta nos dois hospitais centrais nas ilhas de Santiago e S. Vicente. É ainda objetivo destas equipas otimizar a capacitação, através de formação, dos recursos humanos destes hospitais nas áreas do atendimento do doente crítico e tratamento em cuidados
intensivos.

Estas equipas são constituídas por um grupo  profissionais de saúde do INEM, das Forças Armadas e do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, integrando dois médicos com experiência em Cuidados Intensivos e quatro enfermeiros com experiência em Urgência/Emergência e Cuidados Intensivos.

A missão surge como consequência da visita que visou identificar as necessidades das estruturas de saúde do país na resposta à atual situação pandémica, que decorreu entre 5 e 12 de maio e envolveu a coordenação do INEM através do Portuguese Emergency Medical Team, contou com a presença de elementos do Instituto de Emergência Médica e do Camões Instituto da Cooperação e da Língua.

De acordo com comunicado remetido às redações, esta missão avaliou o funcionamento dos hospitais e dos centros de vacinação, tendo trabalhado em concertação com as autoridades de saúde de Cabo Verde, na cidade da Praia e no Mindelo.

 

Recomendadas

Zonas de jogo do casino Estoril encerram após Cascais juntar-se aos concelhos em alerta

O grupo Estoril Sol informa que, apesar do aumento das restrições, o auditório e os restaurantes do espaço estão abertos ao público.

Há mais de 150 casos da variante Delta em Portugal

A situação epidemiológica de Portugal caracteriza-se agora por uma “pressão crescente” nos serviços de saúde e “intensidade” na transmissão comunitária do vírus SARS-CoV-2. Região de Lisboa passará o limiar da incidência acumulada de 240 infeções por 100 mil habitantes em menos de 15 dias.

Variante Delta perto de se tornar dominante a nível global, alerta OMS

A variante detetada na Índia já representa mais de 90% dos novos casos no Reino Unido e em Moscovo. Em Portugal, as autoridades de saúde já alertaram para uma transmissão comunitária em Lisboa e Vale do Tejo, o que poderá justificar o aumento de novos casos.
Comentários