Greve dos Motoristas: Mantém-se a normalidade junto à refinaria de Sines

Os motoristas, que cumprem esta quinta-feira o quarto dia de greve, “mantém os serviços mínimos” na refinaria de Sines, disse hoje o coordenador do sul do Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP).

Nome do ficheiro: greve-motoristas-matérias-perigosas.jpg
Carlos Barroso/Lusa

Desde as primeiras horas do dia que os trabalhadores “cumprem os serviços mínimos”, após a imposição da requisição civil do Governo, apesar do “sentimento de revolta”.

“Estamos em greve na mesma, mas hoje é um dia particularmente difícil, porque deveríamos estar com as nossas famílias e, devido à requisição civil, temos de trabalhar obrigados e isto deixa um sentimento de revolta entre os colegas”, disse Carlos Bonito à agência Lusa.

O dirigente confirmou que, na quarta-feira, os motoristas “cumpriram o horário normal”, entre “8 a 9 horas”, tal como nos dias anteriores, desde que foi imposta a requisição civil e que o cenário “vai ser idêntico hoje e amanhã [sexta-feira]”.

“Ontem [quarta-feira], saíram todos os camiões que estavam previstos, só da Galp à volta de uns 20 e os restantes das outras empresas que não consigo especificar, porque também estou a cumprir o meu horário”, explicou.

Esta quinta-feira, os primeiros camiões “começaram a sair por volta das 07:00 e a esta hora [cerca das 12:00] já saíram todas as viaturas. Algumas já devem estar a regressar para seguir o turno da tarde”, especificou.

“Estamos a transportar gasóleo e gasolina para abastecer os postos REPA”, adiantou.

Numa reação ao acordo firmado ontem entre a Fectrans e a Antram, Carlos Bonito reconheceu que “tira um pouco o ânimo aos motoristas”, mas “não será motivo para baixar os braços”.

“Em 20 anos, a Fectrans nunca fez nada por nós. O ano passado, quando foi criado o nosso sindicato, foram fazer um novo acordo à pressa e o que fizeram foi mal feito, daí termos iniciado esta luta”, afirmou.

Ler mais
Relacionadas
matos_fernandes_crise_energetica_greve_motoristas

Matos Fernandes: “A situação passa-se com toda a normalidade, os serviços mínimos estão a ser cumpridos”

“O grande esforço que fizemos teve êxito e as pessoas podem fazer as suas viagens em segurança e com a certeza de que há combustível”, frisou Matos Fernandes em declrações aos jornalistas, em Lisboa, numa espécie de balanço ao quarto dia da greve dos motoristas.

Quarto dia de greve começa com mais de 15% das bombas sem combustível

No início desta manhã, pelas 8h30, havia 570 bombas sem gasolina e 796 sem gasóleo, de acordo com o site “Já não dá para abastecer”.

GNR e PSP conduziram 84 camiões de combustível entre segunda e quarta-feira

A GNR e a PSP asseguraram, entre segunda e quarta-feira, o transporte de combustível em 84 camiões-cisterna no âmbito da situação de alerta declarada pelo Governo devido à greve dos motoristas de matérias perigosas, foi esta quinta-feira anunciado.
Recomendadas

Primeiro-ministro mentiu à Rainha sobre suspensão do Parlamento? Boris Johnson diz “que não”

Depois do tribunal da Escócia ter acusado o primeiro-ministro de enganar a Rainha Isabel II de um“propósito impróprio de impedir o Parlamento”, Boris Johnson vem agora negar as acusações afirmando que o tribunal do Reino Unido está do seu lado.

Governo britânico com cenário catastrófico de Brexit sem acordo: falta de comida e medicamentos, aumento dos preços da luz, Gibraltar bloqueado

Falta de comida e medicamentos, aumento significativo dos preços, bloqueio de travessias no Canal da Mancha e protestos são algumas das previsões de “pior cenário possível” para um Brexit sem acordo.

Parlamento Europeu critica Boris Johnson por criar “ambiente hostil”

O Parlamento Europeu expressou clara vontade em vetar um acordo do Brexit que não salvaguarde a livre circulação entre as Irlandas.
Comentários