Liga dos Campeões leva FC Porto SAD de volta aos lucros

‘Champions’ fez com que a SAD do FC Porto voltasse aos lucros no primeiro semestre da época 2018/19.

epa07287893 Leixoes’ Pedro Henrique (L) fights for the ball with Pepe of FC Porto during the Portugal Cup soccer match between Leixoes and FC Porto played at the Mar Stadium in Matosinhos, Portugal, 15 January 2019. EPA/FERNANDO VELUDO

A SAD do FC Porto apresentou hoje um saldo positivo de 7,15 milhões de euros relativo às contas do primeiro semestre da época 2018/19, justificados essencialmente com os prémios da Liga dos Campeões e direitos televisivos.

O relatório e contas consolidado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) destaca o “resultado líquido consolidado positivo em 7,158 milhões de euros, que se destaca dos 23,926 milhões negativos apresentados no período homólogo”.

Para a melhoria das contas contribuíram “o aumento das receitas obtidas pela participação do FC Porto na edição 2018/2019 da UEFA Champions League”, bem como “o início da contabilização do contrato celebrado com a Altice, em dezembro de 2015, para a cedência de direitos de transmissão televisiva”.

Em termos genéricos, a SAD ‘azul e branca’ continua a apresentar um capital próprio negativo, embora o tenha reduzido em 6,61 milhões de euros para 31,5 milhões.

Assim, o ativo é contabilizado em 365,9 milhões de euros, enquanto o passivo é de 397,4 milhões de euros, reduzido em 66,758 milhões.

O campeão português revela ainda que gastou 28,9 milhões de euros em reforços no mercado de verão, divididos em 24 milhões na aquisição de passes de futebolistas e 4,9 milhões em encargos adicionais, como comissões.

Em termos de vendas, as mesmas não foram além dos 6,39 milhões de euros.

“As rubricas relacionadas com passes de jogadores (…) alcançaram um saldo líquido negativo – agora de 14,992 milhões de euros – por não se terem efetuado vendas de direitos desportivos de jogadores por valores relevantes neste primeiro semestre”, referem.

Ler mais
Recomendadas

F1. Eleven Sports diz ter ganho mais subscritores com cobertura “sem precedentes” do Grande Prémio de Portugal

“O regresso da F1 a Portugal foi absolutamente histórico e não podíamos estar mais gratos por ter feito parte deste acontecimento. Apesar das normas impostas pela pandemia, que foram de facto desafiantes, preparámos uma operação sem precedentes”, contou gestor da Eleven Sports Portugal ao JE.

Arsène Wenger alerta: criação da Superliga europeia “destruirá a Premier League”

Quando questionado sobre se a criação da superliga europeia é uma decisão empresarial, Wenger responde que “atualmente vivemos um período onde os donos do clube são também eles investidores, ou seja, o principal objetivo deles é fazer dinheiro, e a superliga é uma maneira de o fazer”.

‘Pay per view’ da Premier League não convence adeptos e rende apenas cinco milhões de euros

Nenhum dos nove encontros excedeu os 100 mil espectadores, sendo que três destes ficaram a baixo da média mínima pretendida de 10 mil espectadores. Face aos números registados e, sem a expectativa que estes aumentem significativamente, a PL é forçada a repensar o custo por jogo, como forma de alcançar uma maior audiência durante o próximo mês.
Comentários