Miguel Albuquerque espera apoio do Governo ao Orçamento da Madeira

O presidente do Governo da Madeira espera que o Governo da República apoie o Orçamento Regional na tarefa de reerguer a economia da ilha, afetada pela pandemia da Covid-19.

Cristina Bernardo

O presidente do Governo da Madeira espera que o Governo da República apoie o Orçamento Regional na tarefa de reerguer a economia da ilha, salientando, contudo, que o seu atual foco é conter a disseminação no arquipélago da covid-19.

“É fundamental que o Governo nacional autorize a flexibilização do quadro da atual Lei das Finanças Regionais para fazermos operações de financiamento, mas também devia apoiar o Orçamento Regional”, disse Miguel Albuquerque na apresentação das conclusões do Conselho de Governo.

O chefe do executivo regional lembrou que ” é isso que a maioria das forças políticas defende, incluindo a principal força da oposição [PS] que, de uma forma lúcida e consistente, disse hoje que entendia que o Governo nacional devia apoiar a região autónoma da Madeira e a região dos Açores”.

“Eu sou 100% defensor dessa medida e espero que, para além dos esforços que estamos a fazer de uma forma muito célere para enfrentar este choque social e económico, a Madeira consiga ter a solidariedade do Governo nacional para poder enfrentar estes tempos difíceis”, referiu.

“É muito importante que a prioridade neste momento esteja focada na contenção da disseminação da covid-19 na Madeira e que as pessoas continuem a olhar para as regras como a salvaguarda da sua vida e das suas famílias”, acrescentou.

Além da suspensão da Lei das Finanças Regionais, a Madeira já pediu ao Governo da República a suspensão das prestações do empréstimo contraído no âmbito do Plano de Ajustamento Económico e Financeiro de 2012, designadamente a de abril e a de janeiro no valor de 96 milhões de euros ( 20 milhões de capital e 18 milhões de juros, cada).

O executivo da Madeira quer ainda flexibilização no Fundo e Coesão e na Lei de Meios para, segundo disse, “canalizar essas verbas de forma urgente para o apoio social na região , no emprego e nas empresas”. “Ainda não tivemos nenhuma resposta”, adiantou.

O Conselho do Governo Regional tomou hoje medidas de apoio ao setor agrícola, agroalimentar, pescas, aos profissionais independentes, ao setor da construção civil e sobre a avaliação escolar do segundo período para todas as escolas da região.

Na agricultura vai criar, no prazo de 30 dias, uma linha de crédito bonificada que permita ajudas à tesouraria e o relançamento da atividade do setor primário no valor de cinco milhões de euros.

Os profissionais independentes, exclusivamente da categoria B, a partir de abril e por um período de três meses, beneficiarão de mais 438,81 euros passando a receber 877,62 euros, acréscimo que será suportado pelo Orçamento Regional no montante de 8,5 milhões de euros.

Na construção civil decidiu proibir a aglomeração de trabalhadores, sendo o transporte limitado em número e na forma às regras estabelecidas pela Autoridade de Saúde Regional.

O Governo Regional criou ainda a linha Invest RAM covid-19 para apoio a empresas e empresários em nome individual com contabilidade organizada, que terá um montante de 100 milhões de euros pelo prazo de cinco anos, com um período de carência de 18 meses, à taxa de juro de 0% e totalmente bonificada pelo Governo Regional.

Esta linha poderá ser convertida em apoio a fundo perdido se forem mantidos os postos de trabalho no fim do período de carência de 18 meses.

O Governo Regional decidiu adotar todos os procedimentos para avaliação dos estudantes no segundo período, processo que ficará concluído até 8 de abril.

Ler mais
Recomendadas

PS e PSD chumbam divulgação de dados sobre a Covid-19 para estudo da comunidade científica

No projeto de resolução, chumbado na Assembleia da República, o Iniciativa Liberal recomendava ao Governo a que recolhesse e disponibilizasse à comunidade científica portuguesa os dados epidemiológicos da Covid-19 para que os cientistas portugueses possam estudar a doença.

Covid-19: Parlamento trava cortes de água, luz, gás e telecomunicações

O Parlamento aprovou hoje em votação final global propostas do BE e PCP que suspendem os cortes do fornecimento de água, luz, gás e telecomunicações a famílias com quebra de rendimentos devido à pandemia de covid-19.

Parlamento chumba regime de preços máximos para gasolina e gasóleo durante a crise da Covid-19

Os comunistas alertavam, no projeto de lei, que os preços da gasolina e do gasóleo não estarem a acompanhar a queda do preço do Crude Oil Brent, que serve de referência para Portugal e pediam ao Governo que tome medidas para acabar com a “lógica absurda” das grandes empresas do setor.
Comentários