Número de mortos no Reino Unido subiu para 44.798 com mais 148 óbitos por Covid-19

O número de mortos por causa do novo coronavírus no Reino Unido subiu este sábado para 44.798, depois de nas últimas horas as autoridades sanitárias terem confirmado a morte de mais 148 pessoas que testaram positivo.

Reino Unido | Getty Images

O Ministério da Saúde britânico revelou que, desde o início da pandemia da Covid-19, foram registados 288.953 casos de contaminação pelo novo coronavírus no Reino Unido. Só nas últimas 24 horas as autoridades sanitárias despistaram mais 820 casos positivos.

A Inglaterra avançou hoje mais um degrau no plano de desconfinamento, a um ritmo mais rápido que o resto do Reino Unido, que passa pela reabertura de teatros, piscinas ao ar livre e a prática de desportos coletivos sociais.

No entanto, o Governo britânico admite que venha a ser obrigatório, a curto prazo, o uso de máscaras em espaços fechados.

Em Londres, várias piscinas ao ar livre reabriram este sábado, e aos jardins da cidade regressaram os tradicionais jogos de críquete.

Na segunda-feira reabrem salões de beleza, ‘spa’ e tatuagens, enquanto as academias de ginástica e as piscinas cobertas vão ter de esperar até 25 de julho.

O Governo de Boris Johnson também autorizou a retoma de peças teatrais em palcos ao ar livre, com limite de lotação e medidas de distanciamento social entre os espetadores.

Já conhecido é o plano de apoio financeiro a atividades culturais, no valor de 1.540 milhões de libras (1.740 milhões de euros), que abrange salas de espetáculos, teatros, salas de exposições e galerias de arte.

Johnson já admitiu que o seu gabinete planeia tornar obrigatório o uso de máscaras nas lojas, para ajudar a conter a transmissão do vírus.

A medida, segundo fontes do Governo citadas pela imprensa local, pode entrar em vigor nas próximas semanas.

A pandemia da Covid-19 já provocou mais de 560 mil mortos e infetou mais de 12,52 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Ler mais
Recomendadas

Presidenciais: Conselheiros das comunidades na Alemanha lamentam falta de alternativas para votar

“Se, na zona de residência, não podem deslocar-se ao fim da rua para ir fazer tarefas do dia-a-dia, então viajar centenas de quilómetros para ir votar está fora de questão”, justificou o conselheiro das comunidades portuguesas, sublinhando que, mesmo várias pessoas que não falham atos eleitorais, desta vez não vão exercer esse direito.

Costa diz que Conselho de Ministros prepara-se para tomar medidas hoje perante “alarmante propagação da pandemia”

Depois de Portugal ter atingido o pior dia da pandemia desde o seu início há 10 meses, o Governo reúne-se hoje. Fonte do executivo avançou que o Governo vai encerrar as escolas e universidades do país a partir de sexta-feira, segundo a agência Lusa.

Presidenciais: Ferro afirma que voto no domingo é um ato de resistência contra o vírus

“Votar é uma obrigação indeclinável que as circunstâncias atuais não tornam impeditiva, como pudemos verificar no passado domingo, com a alta participação de quem exerceu antecipadamente o seu voto. Votar é uma das formas de defender a República e a democracia. Votar é também uma forma de resistência”, sustenta o presidente da Assembleia da República.
Comentários