Oficial. Rainha Isabel II promulga saída do Reino Unido da UE

A Rainha aprovou a proposta do primeiro-ministro Boris Johnson e a saída do Reino Unido da União Europeia fica inscrita na legislação britânica.

A Rainha Isabel II promulgou o Brexit, com data de saída para 31 de janeiro. Desta forma, a Rainha aprovou a proposta do primeiro-ministro Boris Johnson e a saída do Reino Unido da União Europeia fica inscrita na legislação britânica.

A notícia foi dada no Parlamento britânico onde os deputados se uniam. “Tenho de notificar a Câmara dos Comuns, de acordo com o Ato de Assentimento Real de 1967, que Sua Majestade assinou o Assentimento Real para União Europeia (Acordo de Retirada) Ato de 2020”, apontou o Presidente da Assembleia Nigel Evans.

A Rainha assinou o acordo uma semana antes da data agendada de saída.

Ler mais
Relacionadas

Nigel Farage tenta instituir o Dia Nacional do Brexit

O primeiro-ministro Boris Johnson tem-se mantido afastado de qualquer polémica – nem sequer comentou o caso dos duques de Sussex – para não criar tensões nesta reta final do Brexit. Só o caso da Escócia foi exceção.

Brexit já custou mais de 150 mil milhões de euros à economia britânica

Até ao final de 2020, a fatura total do processo de saída do Reino Unido da União Europeia vai aumentar para os 236 mil milhões de euros, segundo contas da Bloomberg.

Câmara dos Comuns aprova saída do Reino Unido a 31 de janeiro

Ao cabo de três anos e meio de sucessivos quadros de impasse, os deputados à Câmara dos Comuns do Reino Unido aprovaram o texto que permitirá ao país abandonar a União Europeia a 31 de janeiro.
Recomendadas

Tem uma PME? Saiba como continuar a trabalhar com o Brexit

O Acordo de Saída prevê um período transitório, até 31 de dezembro de 2020, durante o qual prevalecerão as atuais regras do Mercado Único Europeu e da União Aduaneira.

António Costa diz que aprovação do Orçamento é “meio caminho andado” para a legislatura correr bem 

“Ao contrário do que alguns receavam, não tem uma única medida de retrocesso de qualquer dos avanços alcançados nos últimos quatro anos. Ao contrário do que alguns receavam, não nos faz ficar parados ou a marcar passo”, referiu.

“Acordo do Reino Unido com a UE em 11 meses é pouco provável”

Após a saída do Reino Unido da UE no passado 31 de janeiro, Ricardo Evangelista, analista da ActivTrades em Londres, encarou com pessimismo a possibilidade de um acordo em 11 meses entre britânicos e instituições europeias.
Comentários