Portugal com mais 213 casos de infeção e três mortes por Covid-19

Região de Lisboa e Vale do Tejo regista o número mais elevado de infeções ao dia de hoje, tendo confirmado mais 1447 casos em relação aos dados da véspera. O número de casos recuperados em Portugal aumentou para 37.840.

Miguel A. Lopes / Lusa

Portugal conta com um total de 52.061 casos confirmados da Covid-19, mais 213 face ao dia anterior, revela o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgado esta quinta-feira, 6 de agosto. O número de vítimas mortais do novo coronavírus no país aumentou para 1.743, registando-se três vítima mortal nas últimas 24 horas.

O boletim epidemiológico divulgado esta tarde indica que, até à data, foram registados 452.453 casos suspeitos e 1.317 pessoas ainda aguardam os resultados das análises laboratoriais da Covid-19. Atualmente existem 399.075 casos não confirmados após as análises, e 37.783 encontram-se sob vigilância das autoridades de saúde.

A DGS revela que atualmente existem 18.891 casos registados no Norte, 4.494 no Centro, 26.720 em Lisboa e Vale do Tejo, 905 no Algarve, 170 casos na Região Autónoma dos Açores, 119 na Região Autónoma da Madeira e 762 casos no Alentejo.

Atualmente existem 369 internados, dos quais 42 estão em Unidades de Cuidados Intensivos (UCI) e 37.840 casos recuperados em Portugal, mais 275 do que os registados no dia de ontem.

O total das 1.743 mortes, 831 foram no Norte, 252 no Centro, 608 em Lisboa e Vale do Tejo, 15 no Algarve, 15 nos Açores, 22 no Alentejo, não se registando nenhuma na Madeira.

O boletim da DGS contabiliza três vítimas mortais do sexo feminino e uma masculina entre os 30 e os 39 anos de idade, juntando-se às duas vítimas mortais, feminina e masculina, entre os 20 e os 29 anos, existindo atualmente seis óbitos confirmados abaixo dos 40 anos de idade.

Existem ainda 10 vítimas mortais do sexo feminino e 10 do sexo masculino entre a faixa etária dos 40 aos 49 anos de idade. Registaram-se 40 vítimas do sexo masculino e 17 do sexo feminino na faixa etária dos 50 aos 59 anos, 107 vítimas entre os 60 e os 69 anos do sexo masculino e 48 do sexo feminino, 208 óbitos masculinos e 131 óbitos femininos entre 70 e os 79 anos. Registam-se ainda 506 vítimas masculinas e 660 vítimas femininas com mais de 80 anos.

O grupo etário com mais casos confirmados é dos 40 aos 49 anos (3.861 homens e 4.753 mulheres), com um total de 8.589, seguindo-se a dos 50 aos 59 anos (3.387 homens e 4.473 mulheres), num total de 7.829. Existem 4.303 crianças e adolescentes infetados, entre os 0 e os 19 anos de idade. Atualmente existem 23.259 homens e 28.802 mulheres infetados pelo novo coronavírus.

O número de casos nas faixas etárias entre os 30 e os 39 anos e os 60 e 69 anos têm verificado aumentos. O boletim da DGS assume a existência de 4.041 homens e 4.467 mulheres infetados entre os 30 e 39 anos, e 2.460 homens e 2.754 mulheres com casos confirmados entre os 60 e 69 anos. Atualmente existem 3.985 mulheres e 1.920 homens com mais de 80 anos infetadas com Covid-19.

Também o grupo etário entre os 20 e os 29 anos de idade têm verificado um aumento considerável de casos positivos, sendo que até à data existem 3.703 homens e 4.264 mulheres com casos positivos. A faixa etária entre os 70 e 79 anos verifica 1.701 homens e 1.911 mulheres infetadas. Existem 45 homens e 33 mulheres cuja idade é desconhecida.

Em relação aos sintomas, os mais referidos são tosse (35%), febre (27%), dores musculares (21%), cefaleias (20%), fraqueza generalizada (14%) e dificuldades respiratórias (9%).

[Notícia atualizada às 14h24]

Ler mais
Recomendadas

Fisco vai anular multas de 75 euros a trabalhadores independentes que esperam apoio extraordinário

A denúncia partiu hoje da Precários Inflexíveis, dando conta que muitos destes trabalhadores relataram à associação não conseguir submeter o pedido para o apoio relativo a julho, devido ao prazo curto para submeter o requerimento (uma semana, sem aviso prévio) e o tempo que leva a ser confirmada a reabertura de atividade.

Bolsonaro diz que subsídios para os mais pobres na luta contra a pandemia não são eternos

De acordo com a imprensa brasileira, Bolsonaro justifica o aumento da despesa pública com a atribuição de subsídios aos mais carenciados, para mitigar efeitos da pandemia da Covid-19. Contudo, o presidente do Brasil diz que apoios não são para sempre.

Covid-19: Açores com sete novos infetados nas últimas 24 horas

A autoridade de saúde regional “decorrentes das 1.020 análises realizadas nos dois laboratórios de referência da região nas últimas 24 horas, foram diagnosticados sete casos positivos de covid-19”, dos quais “três em São Miguel, um na Terceira e três no Faial”.
Comentários