PSD: Caixa serviu para dar crédito “aos amigos e com condições especiais”

“Bloco, PCP e PS acabaram por ser cúmplices da tentativa de ocultar a verdade aos portugueses” sobre o verdadeira estado do banco público, acusou o deputado social-democrata Duarte Pacheco.

O PSD lançou um duro ataque aos partidos de esquerda devido à Caixa Geral de Depósitos. Os sociais-democratas apontam que Bloco de Esquerda, PCP e PS impediram a continuação da comissão de inquérito ao banco público, o que contribuiu para “ocultar a verdade aos portugueses”.

“Muitos dos atuais responsáveis governamentais são os mesmos da encarnação socialista anterior e, pelo menos oficiosamente, não desconheciam o modo como a Caixa Geral de Depósitos funcionava nesste tempo, ou seja, como uma simples delegação de um ministro das Finanças e do gabinete do primeiro-ministro para que crédito fosse concedido aos amigos e com condições especiais”, criticou o deputado do PSD Duarte Pacheco esta quarta-feira no Parlamento.

“Bloco, PCP e PS acabaram por ser cúmplices da tentativa de ocultar a verdade aos portugueses de saber quem provocou o buraco na Caixa Geral de Depósitos, ou seja, quem não pagou os créditos que recebeu e quem são os responsáveis diretos por esses créditos”, acusou o social-democrata.

“Bloco, PCP e PS tudo fizeram para que o Parlamento e os portugueses não soubessem a verdade, porventura por razões ideológicas, pois não queriam que os portugueses percebessem que má gestão pode acontecer tanto na banca privada, como na banca pública”, afirmou Duarte Pacheco.

Relacionadas

CDS-PP avança com nova comissão parlamentar de inquérito à Caixa Geral de Depósitos

Centristas querem que trabalhos fiquem concluídos no prazo de 120 dias

Mourinho Félix: CGD “não voltará a ter injeção de dinheiro público”

Sobre a recapitalização da Caixa em 2016, de quase 5.000 milhões de euros, que foi um processo “único ao nível europeu, que permitiu que a Caixa hoje se mantenha um banco 100% público, que fique muito claro”, disse o governante.

PGR não se opôs a que a Caixa disponibilizasse auditoria ao Parlamento

A procuradoria liderada por Lucília Gago considera que a disponibilização à AR da auditoria “não é prejudicial aos interesses da prossecução da Justiça e à descoberta da verdade material”.

Relatório da auditoria à Caixa pode chegar “ainda hoje” ao Parlamento

O relatório deverá chegar truncado ao Parlamento, isto é, sem conter informações que estejam sob segredo bancário.

Centeno: “Ninguém tem qualquer problema com a auditoria à CGD e as suas consequências”

O ministro das Finanças está esta quarta-feira a ser ouvido no parlamento, a pedido do PCP. “Só ao fim de oito ministros das Finanças e quatro governos é que esta auditoria foi solicitada”, afirmou.
Recomendadas

CPI à Caixa: relatório final já foi entregue em mão à Procuradora Geral da República

O presidente da comissão parlamentar de inquérito à gestão da Caixa entregou em mão o relatório final à Procuradora Geral da República. Entrega realizou-se na sexta-feira passada, tendo na ocasião Luis Leite Ramos dado explicações a Lucília Gago sobre os termos em que foi feito o documento, cujas conclusões poderão ter, segundo a própria CPI, relevância criminal.

Críticas ao BdP, gestão do banco e governo de Sócrates. Conheça ao detalhe o relatório da CPI à Caixa Geral de Depósitos

Relatório final reflete as conclusões retiradas pelos deputados sobre a recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e a gestão do banco público. Trabalhos começaram em março e as conclusões visam vários alvos: Banco de Portugal, gestão do banco e sucessivos Governos, com destaque para o Executivo liderado por José Sócrates.

“Expressão ‘indícios de gestão danosa’ dividiu PSD dos restantes partidos” da comissão de inquérito à CGD

Shrikesh Laxmidas, diretor-adjunto do Jornal Económico, analisou para a SIC Notícias as propostas de alterações ao relatório final da II Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) à Recapitalização da CGD e Gestão do banco público.
Comentários