Regiões de turismo do Centro e do Porto e Norte reforçam cooperação com Castela e Leão

Entre os produtos turísticos conjuntos mais relevantes destas regiões destacam-se o enoturismo, gastronomia e vinhos, os lugares Património Mundial da UNESCO, o turismo cultural e religioso e as ‘Rotas Napoleónicas’.

As regiões de turismo do Centro de Portugal e do Porto e Norte vão reforçar a cooperação transfronteiriça com as regiões congéneres espanhyolas de Castela e Leão para fazer face à pandemia, na sequência de uma reunião entre as várias entidades, que decorreu hoje, dia 24 de julho.

Outro dos asuntos em cima da mesa foi a realização da próxima Cimeira Ibérica, prevista para a Guarda, em outubro.

“O Turismo Centro de Portugal e as entidades congéneres das regiões vizinhas de Castela e Leão e Porto e Norte acordaram hoje, numa reunião, uma série de iniciativas tendentes a fazer face à situação provocada pela atual pandemia”, anuncia um comunicado, acrescentando que “as iniciativas passam pelo reforço da cooperação transfronteiriça em produtos turísticos comuns às regiões, nomeadamente através de uma estruturação, promoção e valorização turística conjunta”.

De acordo com este documento, “entre os produtos turísticos conjuntos mais relevantes destacam-se o enoturismo, gastronomia e vinhos, os lugares Património Mundial da UNESCO, o turismo cultural e religioso e as ‘Rotas Napoleónicas'”.

“Na reunião, foi dado um ênfase especial aos ‘Caminhos de Santiago’, uma vez que está em curso o processo de certificação dos itinerários. Foi enaltecido o facto de o caminho português ser o que mais tem crescido entre todos os caminhos. Também as ‘Rotas dos Vinhos’, que juntam as três regiões, mereceram atenção redobrada”, adianta o referido comunicado.

A Região de Turismo do Centro de Portugal esclarece que esta reunião decorreu através de uma plataforma ‘online’ e juntou responsáveis das áreas do turismo das regiões Centro de Portugal, Porto e Norte de Portugal e Castela e Leão, além das CCDR (Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional) do Centro e do Norte, entre outras instituições.

“A 31.ª Cimeira Ibérica, que vai realizar-se em outubro, na cidade da Guarda, foi outro tema relevante da conversa de hoje. Os participantes sublinharam a necessidade de se preparar uma agenda comum a nível do turismo, enquanto elemento aglutinador em domínios como a mobilidade e acessibilidade, a digitalização, inovação e eficiência energética, a sustentabilidade e economia circular, a coesão territorial e competitividade e a formação e qualificação da oferta e ativos”, assinala o mesmo documento.

Ler mais
Recomendadas

1.886 tripulantes da TAP votaram ‘sim’. Acordo de emergência fica aprovado no SNPVAC

A esmagadora maioria dos tripulantes da TAP representados pelo Sindicato Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil votou favoravelmente o “Acordo de Emergência”, virando a página num processo negocial que tem sido longo para os trabalhadores do Grupo TAP, mas que salvaguardou algumas regalias laborais.

TAP. Pilotos do SPAC aceitam “acordo de emergência”

Com uma participação massiva de 96,8% dos associados do Sindicato dos Pilotos da Aviação Civil (SPAC), foi votado o “Sim” ao “acordo de emergência” estabelecido com a administração da TAP, com uma maioria de 617 votos. O regime sucedâneo é afastado para os pilotos, que vêm o ordenado ser cortado em 50% acima do valor de garantia de 1.330 euros mensais.

OMS reclama isenção de direitos de propriedade intelectual para vacinas

“Agora é o momento de usar todas as ferramentas para aumentar a produção, incluindo licenciamento, transferência de tecnologia e isenções de propriedade intelectual. Se não é agora, quando?”, questionou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.
Comentários