Reino Unido prepara-se para abandonar regras de distanciamento social em junho

Uma das três regras sanitárias adotadas a nível mundial para evitar a propagação do vírus poderá ser abandonada já em junho no Reino Unido, esta uma das próximas fases do plano de desconfinamento.

O Reino Unido está em vias de abandonar as regras de distanciamento físico no final do próximo mês, disse o primeiro-ministro Boris Johnson, sendo esta uma das próximas fases do plano de desconfinamento, que segue quase sem percalços com a ajuda da vacinação em massa que já contabiliza mais de 23% da população imunizada.

“Parece-me que a 21 de junho poderemos ter boas hipóteses de dispensar a regra de um metro”, disse numa breve entrevista, na segunda-feira.

A próxima fase do plano de desconfinamento começará a de 17 de maio, altura em que as restrições às viagens ao estrangeiro serão aliviadas, mas não levantadas.

“Queremos ter alguma abertura no dia 17 de maio, mas não acredito que a população deste país queira ver um afluxo de doenças vindas de outro lugar. Eu certamente não quero. Temos de ser muito, muito duros, e temos de ser tão cautelosos quanto possível”, disse o primeiro-ministro.

As declarações surgem numa altura em que um grupo de deputados britânicos subscreveu a uma missiva que apela a que as viagens para o estrangeiro sejam desencorajadas assim que estas recebam ‘luz verde’.

“O governo britânico deverá desaconselhar todas as viagens internacionais de lazer para prevenir a importação de novas variantes para o Reino Unido, de forma a reduzir o risco de uma terceira vaga e de mais confinamentos”, lê-se no relatório, citado pelo “The Guardian”. “Esta recomendação deverá ser implementada imediatamente e revista numa base trimestral.”

O regresso às viagens vai funcionar de acordo com um sistema de semáforo, que irá indicar os destinos mais e menos seguros.

Ler mais
Recomendadas

Governo português envia equipas médicas a Cabo Verde para reforçar capacidade de resposta à situação pandémica

Estas equipas são constituídas por um grupo  profissionais de saúde do INEM, das Forças Armadas e do Centro Hospitalar do Baixo Vouga, integrando dois médicos com experiência em Cuidados Intensivos e quatro enfermeiros com experiência em Urgência/Emergência e Cuidados Intensivos.

Peritos alemães consideram que será necessária terceira dose da vacina contra a Covid-19

Numa entrevista publicada hoje pela imprensa do grupo Funke, o presidente da Comissão Permanente de Vacinação (Stiko) alemã, Thomas Mertens, avisou que as atuais vacinas contra a covid-19 “não serão as últimas”.

Índia com mais de quatro mil mortos por Covid-19 nas últimas 24 horas

Desde o início da pandemia o país já registou 270.284 mortes e mais de 25 milhões de casos. A Índia é o segundo país do mundo que registou mais infeções, apenas atrás dos Estados Unidos.
Comentários