Sindicatos denunciam empresas que não estão a pagar o dia a trabalhadores que se vão vacinar

À rádio “TSF”, a o secretário-geral da UGT, Carlos Silva, fala em situações que prejudicam o próprio país. O sindicalista lembra que é a saúde de todos que está em causa e pede aos trabalhadores que não tenham medo.

A Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses – Intersindical Nacional (CGTP-IN) e a União Geral de Trabalhadores (UGT) confirmaram à rádio “TSF” que têm recebido queixas de vários sectores de empresas que estão a recusar o pagamento do dia em que os trabalhadores são vacinados contra a Covid-19. Há também relatos de casos em que os trabalhadores não são autorizados a tirar o dia, quando não têm uma hora agendada para a vacina.

À rádio, a o secretário-geral da UGT, Carlos Silva, fala em situações que prejudicam o próprio país. O sindicalista lembra que é a saúde de todos que está em causa e pede aos trabalhadores que não tenham medo.

Já a secretária-geral da CGTP, Isabel Camarinha, confirma à rádio a existência de denúncias de trabalhadores que não são autorizados a tirar o dia, quando não têm uma hora agendada para a vacinação, e de empresas que recusam pagar o salário no dia da vacina.

Os casos denunciados vão no sentido de as empresas “não garantirem o pagamento da retribuição naquele período em que os trabalhadores se ausentam para ser administrada a vacina”.

Recomendadas

Covid-19: 180 mil professores e trabalhadores não docentes testados nas escolas

Segundo o Ministério da Educação, teve início esta segunda-feira, 20 de setembro, a segunda fase da operação de testagem que se prolonga até 1 de outubro e envolve os alunos do ensino secundário, seguindo-se os alunos do 3.º ciclo.

Portugal com mais 306 casos de Covid-19 e sete mortes

Boletim da DGS dá esta segunda-feira conta de mais 604 pessoas recuperadas da doença causada pelo vírus SARS-CoV-2.

“PRR na campanha autárquica? É gravíssimo e só demonstra a falta de vergonha do PS”, considera candidato da IL a Lisboa

Na última edição do programa “Primeira Pessoa, da plataforma multimédia JE TV, Bruno Horta Soares considerou “gravíssima” a entrada do Plano de Recuperação e Resiliência na campanha eleitoral, algo que no entender deste consultor, “só demonstra a falta de vergonha” dos socialistas.
Comentários