Trabalhadores do Dia Portugal estão hoje em greve

Os trabalhadores das lojas e armazéns do Dia Portugal – Minipreço/Clarel estão hoje em greve para exigir aumentos salariais para todos os trabalhadores e horários de trabalho regulados.

A greve de 24 horas insere-se num conjunto de ações de luta dos trabalhadores das empresas de distribuição, que decorrem ao longo do mês e foram convocadas pelo Sindicato dos Trabalhadores do Comércio, Escritórios e Serviços de Portugal (CESP).

Os trabalhadores do Dia Portugal querem que a empresa dê uma resposta ao seu Caderno Reivindicativo, realizando hoje uma reunião negocial, que tem sido sucessivamente adiada desde o início de abril.

Entre as reivindicações defendidas está a necessidade de regulação dos horários de trabalho e o encerramento dos estabelecimentos aos domingos e feriados.

Representantes dos trabalhadores em greve dos vários distritos vão deslocar-se a Lisboa para participarem numa ação de protesto e denúncia junto à sede da empresa, em Paço de Arcos.

Desde o dia 01 já estiveram envolvidos em ações de luta por melhores condições de trabalho os trabalhadores do Pingo Doce, IKEA, Intermarché, C&A, Lidl e Jumbo.

Os trabalhadores dos hiper e supermercados Continente, e respetivos armazéns, vão estar em luta no domingo.

Segundo o CESP, os trabalhadores do setor têm vindo a empobrecer pois, atualmente, os salários de topo de carreira estão 26 euros acima do salário mínimo, quando em 2010 estavam 140 euros acima da retribuição mínima.

O CESP e os trabalhadores da distribuição reivindicam a revisão do Contrato Coletivo de Trabalho e acusam a associação patronal do setor (APED) e as empresas suas filiadas de fazerem depender a negociação dos aumentos dos salários da aceitação do banco de horas pelos trabalhadores.

Ler mais
Recomendadas

IKEA vai investir em novas lojas em Portugal: margem sul do Tejo, Cascais e Sintra

A multinacional sueca pretende abrir lojas de pequena dimensão em Sintra, Cascais e a sul de Lisboa, assim como centros de encomendas, de planeamento e de levantamento.

Sonae quer abrir até 60 lojas Continente Bom Dia até 2021

Para apostar na abertura de novas lojas, a Sonae prevê um investimento acumulado entre 260 a 280 milhões de euros, sendo que para a manutenção da atual rede de hiper e supermercados e outros espaços lojistas o grupo poderá empregar cumulativamente até aproximadamente 445 milhões de euros nos próximos dois anos.

Sonae MC concluiu ‘sale and lease back’ de imóveis e ganhou 10,9 milhões

Esta operação totalizou 24,4 milhões de euros e gerou um ganho de capital estimado de 10,9 milhões de euros, refere a Sonae que adianta que “o nível de detenção de ativos de retalho (freehold) da Sonae MC passou a situar-se em 43%”.
Comentários