Mais artigos

O chumbo da moção de censura sob o prisma de um balanço da legislatura e arranque da campanha eleitoral

A liderança simbólica da oposição, o processo de reconfiguração da direita e do centro-direita, o equilibrismo dos bloquistas e dos comunistas, a carga “positiva” e a carga “negativa” da governação, a miragem da maioria absoluta, o problema da gestão de expectativas, a viragem de ciclo económico e a necessidade de criar uma nova narrativa.

Remodelação do Governo: O mito do rejuvenescimento e a estratégia de gestão dos potenciais sucessores no PS

A média de idades dos ministros e secretários de Estado aumenta com a sétima remodelação, apesar da ideia de promoção de uma nova geração de quadros do PS. O primeiro-ministro António Costa reforça o círculo mais restrito de confiança política e, simultaneamente, gere o processo de sucessão na liderança do partido. Aproximando e envolvendo rivais.

Sinistralidade rodoviária voltou a aumentar. As causas da “guerra civil” e os planos na gaveta desde 2001

Mais acidentes e vítimas mortais nas estradas portuguesas, nos últimos dois anos, invertendo tendência de decréscimo desde 2010. “Os desastres rodoviários não são acidentais”, sublinha Manuel João Ramos, presidente da ACA-M. “Têm causas objetivas e responsabilidades averiguáveis”, desde logo ao nível das políticas públicas.

Mulheres ao poder na Etiópia. As novas presidentes da República e do Supremo Tribunal

A diplomata Sahle-Work Zewde e a advogada Meaza Ashenafi são as primeiras mulheres de sempre a assumir a presidência da República e do Supremo Tribunal Federal da Etiópia, respetivamente. “A marcha da Etiópia rumo à paridade de género em posições-chave de liderança prossegue de forma incansável”, enalteceu o chefe de gabinete do primeiro-ministro.

A violência verbal de Trump, as cartas-bomba e o ataque à sinagoga. Relação causa/efeito?

Recrudescimento da violência politicamente motivada intensificou o debate em torno da retórica do presidente dos EUA. “A linguagem polarizadora, xenófoba, racista e anti-semita de Trump aciona pessoas loucas”, salienta Hélène Landemore, professora de Ciência Política na Universidade de Yale.

“Economia circular”: Alternativa ao modelo de extração, consumo e descarte intensivos dos recursos

A associação Circular Economy Portugal quer “contribuir para uma sociedade sem desperdício” e “acelerar a transição para uma ‘economia circular’ em Portugal”. As três diretoras – Lindsey Wuisan, Andreia Barbosa e Marta Brazão – explicam o conceito e descrevem os projetos lançados.

“Mulher não entra” como oradora? As justificações dos organizadores de conferências

Questionados sobre a desigualdade de género na seleção de oradores para conferências, os respetivos organizadores apresentam as suas justificações: “quantidade não significa qualidade”, “não definimos quotas”, “motivos de agenda”, “os melhores ‘experts’ em cada área”, etc.

Ana Brazão do GEOTA: “Temos que desmistificar o papel das barragens na luta contra as alterações climáticas”

Engenheira ambiental e coordenadora do projeto Rios Livres do GEOTA, Ana Brazão diz que as barragens emitem gases com efeito de estufa e alerta para o impacto nos ecossistemas dos rios que “são hoje os ‘habitats’ mais ameaçados do planeta”. Em alternativa, defende a aposta na eficiência energética. E antecipa a 2ª Cimeira Europeia dos Rios que vai realizar-se no Porto, em 2020.

A importância do “jornalismo lento” como impulsionador do “pensamento crítico sobre o que nos rodeia”

Quiosque Manifesto organiza palestra sobre o “jornalismo lento”, com um dos editores da revista “Delayed Gratification”, precursora desse conceito. A coordenadora Inês Catarina Pinto refuta a “morte do papel”, diz que “estamos a viver uma época de ouro das publicações independentes” e enaltece a “valorização da informação como conhecimento”.

A violência doméstica continua a matar mulheres. “Números preocupantes”, “impunidade” e “relações de poder”

Relatório da UMAR indica que, nos primeiros seis meses de 2018, foram assassinadas mais 16 mulheres, vítimas de violência doméstica. Nos últimos 14 anos registaram-se 488 vítimas mortais no total, deixando mais de mil crianças órfãs. Deputadas do PS questionam ministros sobre o que pode ser feito ao nível da prevenção e combate. PpDM alerta para um problema mais vasto de violência contras as mulheres.

Arruada do CDS-PP na Baixa de Lisboa foi atração turística enquanto Cristas tentou reavivar espírito das autárquicas de 2017

Muitos turistas, poucos eleitores portugueses. “Foi uma ação de campanha talvez na rua mais europeia de Portugal”, tentou justificar Nuno Melo. “Provámos em Lisboa que não havia impossíveis”, recordou Assunção Cristas. Ao longo da rua Augusta, ontem, ao final da tarde, a comitiva do CDS-PP deparou com duas faces do passado recente de governação: a “explosão turística” e a “lei das rendas”.

Paulo Sande: “Vamos eleger dois eurodeputados do Aliança e será bom para o país ter uma nova atitude na Europa”

O cabeça-de-lista do novo partido Aliança expressa a sua confiança na obtenção de um bom resultado nas eleições europeias, sublinha a importância de “encontrar um equilíbrio” entre o federalismo e o soberanismo, propõe “deputados-sombra” para assegurar um maior escrutínio e quer que todas as normas europeias sejam avaliadas do ponto de vista do impacto ambiental.

Deputados da Comissão para o Reforço da Transparência fazem balanço dos três anos de trabalhos

“Francamente positivo”, diz Pedro Delgado Alves (PS). “Deram-se importantes passos”, reconhece Álvaro Batista (PSD). “A transparência ficou pelo caminho”, critica Vânia Dias da Silva (CDS-PP). “Teremos um conjunto de medidas demagógicas e de mera cedência a populismos”, lamenta António Filipe (PCP).

Greve Feminista: Contra a boçalidade, pela igualdade

A luta não está ganha, o mundo pára sem nós e as ruas, essas são de facto nossas. Amanhã, no próximo ano e nos restantes, até que a igualdade seja essa promessa de ontem nos dias de hoje.

O chumbo da moção de censura sob o prisma de um balanço da legislatura e arranque da campanha eleitoral

A liderança simbólica da oposição, o processo de reconfiguração da direita e do centro-direita, o equilibrismo dos bloquistas e dos comunistas, a carga “positiva” e a carga “negativa” da governação, a miragem da maioria absoluta, o problema da gestão de expectativas, a viragem de ciclo económico e a necessidade de criar uma nova narrativa.

A única moção de censura e as duas moções de rejeição que derrubaram governos

No dia em que é debatida e votada a moção de censura apresentada pelo CDS-PP, visando o Governo do PS, o Jornal Económico recorda as histórias de três moções (uma de censura e duas de rejeição) que fizeram cair governos liderados por Cavaco Silva, Nobre da Costa e Passos Coelho.
Ver mais artigos