Após polémica, tese do primeiro ministro de Espanha já está online

A tese de doutoramento Pedro Sánchez foi tornada pública na plataforma “Teseo”, do Ministério da Educação espanhol, na sequência de dúvidas sobre plágio. O programa de software Turnitin, utilizado na Universidade de Oxford, atestou a originalidade do documento.

A tese de doutoramento do primeiro ministro espanhol já está disponível para consulta na base de dados “Teseo”, do Ministério de Educação, Cultura e Desporto de Espanha. O trabalho de Pedro Sánchez foi tornado público na sequência de dúvidas sobre plágio levantadas pela oposição e pelos media locais.

Intitulada “Innovaciones de la diplomacia económica española: Análisis del sector publico (2000-2012)” (“Inovações da diplomacia económica espanhola: Análise do setor público”), a tese do chefe do executivo madrileno foi apresentada na Universidade Camilo José Cela e debruça-se sobre as inovações que os vários níveis do setor público lideraram no terreno da diplomacia económica do país.

Após ter sido divulgada, os programas de software Turnitin, utilizado na Universidade de Oxford, e o PlagScan, confirmaram a originalidade da investigação de Pedro Sánchez.

Recomendadas
Respostas Rápidas: Que produtos foram afetados pelas tarifas dos EUA à China?
Em que ponto está a guerra comercial? Qual a lista de produtos impactados? Como reagiu a China? O que dizem os analistas? Segundo os cálculos do instituto alemão Ifo, estas tarifas irão travar o crescimento da China em 0,1 a 0,2 pontos percentuais e colocar a Europa numa posição mais forte.
Kim Jong-un diz que cimeira com Donald Trump estabilizou a segurança regional
O líder da Coreia do Norte enalteceu hoje a cimeira realizada com Donald Trump, presidente dos EUA, na medida em que estabilizou a segurança regional. Jong-un também disse que espera obter mais progressos na próxima cimeira inter-coreana.
China retalia Estados Unidos com tarifas de 60 mil milhões de dólares
A decisão surge horas depois de a Casa Branca dizer que os Estados Unidos da América iriam impor taxas alfandegárias às importações chinesas no valor de 200 mil milhões de dólares (aproximadamente 171 mil milhões de euros).
Comentários