Coletes amarelos: Oito mil invadem Paris, 32 mil em França

Apesar das medidas aprovadas pelo Governo gaulês, como o aumento do salário mínimo em 100 euros, o movimento dos coletes amarelos não dá tréguas a Emmanuel Macron.

Oito mil coletes amarelos invadiram Paris este sábado, no nono fim-de-semana consecutivo de protestos em França. Apesar das medidas aprovadas pelo Governo gaulês, como o aumento do salário mínimo em 100 euros, o movimento dos coletes amarelos não dá tréguas a Emmanuel Macron.

Em todo o país, 32 mil coletes amarelos estão a protestar este sábado contra o Executivo francês, avança a agência France Presse, citando dados do Governo. Este valor fica abaixo dos 26 mil manifestantes registados no fim-de-semana passado.

O Palácio do Eliseu ordenou a mobilização de 80 mil agentes da polícia em todo o país, e um total de cinco mil para Paris, segundo a Bloomberg. O responsável máximo da polícia de Paris, Michel Delpuech, disse na sexta-feira que esperava protestos violentos, e também um aumento do número de manifestantes depois do período festivo ter terminado, mas longe das multidões registadas, na ordem dos centenas de milhares.

A manifestação teve o seu início no ministério das Finanças e terminaria no final da Avenida dos Campos Elísios, no Arco do Triunfo. Segundo a televisão gaulesa BMFTV, cerca de uma centena de coletes amarelos já foram identificados pela polícia. Alguns vídeos difundidos pela BMFTV, mostram momentos de tensão entre os manifestantes e a polícia na zona dos Campos Elísios na capital francesa pelas 14:00 deste sábado, hora de Portugal.

Relacionadas

Manifestação de coletes amarelos em Paris obriga a fechar Torre Eiffel e dezenas de museus

A emblemática torre Eiffel estará fechada este sábado, tal como uma dezena de museus em Paris, para prevenir qualquer impacto de uma possível manifestação marcada pela violência.
Recomendadas

Confiança dos empresários alemães aumenta pela primeira vez em seis meses

O ifo Business Climate Index subiu em março, de 98,7 para 99,6 pontos. Este é o primeiro aumento após seis quedas sucessivas. As empresas estão um pouco mais satisfeitas com a sua atual situação de negócios, e estão decididamente mais otimistas em relação aos negócios nos próximos seis meses.

Steve Bannon e as eleições europeias: “Quanto mais participação houver, maior será a vitória do movimento populista”

Antigo conselheiro de Trum, ideólogo da nova extrema-direita e mentor de Bolsonaro e dos espanhóis do Vox, Bannon considera possível que 30% do próximo parlamento europeu seja populista.

CDS quer Governo a reforçar vagas em creches e lares para portugueses que regressem da Venezuela

O CDS-PP quer que Governo a apoie e pague regresso de portugueses na Venezuela. Custear despesas com as viagens, acelerar a tramitação dos processos de nacionalidade, eventuais benefícios fiscais e reforço de apoios sociais e em medicamentos são algumas medidas que constam do plano de apoios dos centristas a que juntam agora a disponibilização de vagas em creches ou lares de idosos, com contratualização com a Segurança Social.
Comentários